52 vítimas do massacre carcerário no Amazonas já foram identificadas pelo IML

O Instituto Médico Legal do Amazonas liberou, desde terça-feira (28), 52 dos 55 corpos das vítimas do massacre em quatro cadeias do estado, entre elas o Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), que já havia registrado um massacre onde 56 detentos foram assassinados , em janeiro de 2017.

Três corpos ainda não foram identificados e dez ainda aguardam suas famílias para serem retirados. Esse processo de identificação e liberação das vítimas já dura três dias, o que gerou revolta nos familiares, que chegaram a protestar na sala de espera do IML. O atendimento permanecerá nos próximos dias.

Desde segunda-feira, 27, as famílias das vítimas estão recebendo atendimento psicológico e de assistentes sociais, além de orientação sobre a identificação e liberação dos corpos.

“Temos muitos voluntários, temos um serviço social que está fazendo o atendimento, tentando acalmar as famílias, fazendo entrevistas, pegando todas as informações para entrar em contato quando a identificação estiver concluída”, afirmou a diretora do IML, Sanmya Leite.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *