A inflação para o consumidor ficou estável em Porto Alegre na segunda semana de janeiro

O IPC-S (Índice de Preços ao Consumidor – Semanal) aumentou em quatro das sete capitais pesquisadas na segunda semana de janeiro, de acordo com dados divulgados nesta quinta-feira (17) pela FGV (Fundação Getulio Vargas). Em Porto Alegre, a inflação para o consumidor se manteve estável em 0,30%.

Nesta edição, cinco das oito classes de despesa componentes do índice apresentaram aceleração em suas taxas de variação na Capital gaúcha. Outras três tiveram desaceleração. Em sentido ascendente, destaca-se o grupo Educação, Leitura e Recreação, cuja taxa passou de 0,12% para 0,48%, e em sentido descendente, o grupo Vestuário, de 0,50% para -0,15%.

Conforme a FGV, os acréscimos no IPC-S na segunda semana de janeiro foram registrados em Salvador (de 0,55% para 0,61%), Brasília (de 0,35% para 0,40%), Belo Horizonte (de 0,51% para 0,70%) e São Paulo (de 0,28% para 0,55%). Os decréscimos foram verificados em Recife (de 0,38% para 0,29%) e Rio de Janeiro (de 0,73% para 0,71%).

Mercado financeiro

Os analistas do mercado financeiro melhoraram a previsão de crescimento da economia em 2019, segundo dados divulgados pelo BC (Banco Central) na segunda-feira (14). Os economistas também aumentaram a previsão para a taxa de inflação deste ano.

De acordo com dados do relatório de mercado, conhecido como Boletim Focus, a previsão de crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) em 2019 passou de 2,53% para 2,57%. Já a previsão da inflação passou de 4,01% para 4,02%. O Boletim Focus é resultado de levantamento feito com mais de 100 instituições financeiras.

Os economistas dos bancos não alteraram as previsões de crescimento do PIB e da inflação para 2020 e 2021. Para 2020, a previsão é de que a inflação fique em 4% e que a economia cresça 2,5%. Já para 2021, a previsão de crescimento do PIB é de 2,5%, com uma inflação de 3,75%.

O mercado manteve 7% ao ano a previsão para a taxa de juros, a Selic, no fim deste ano. Atualmente, o juro básico da economia está em 6,50% ao ano, na mínima histórica. O Copom (Comitê de Política Monetária) do Banco Central se reúne a cada 45 dias para definir a taxa Selic, com base no sistema de metas de inflação.

A projeção do mercado financeiro para a taxa de câmbio no fim de 2019 ficou estável em R$ 3,80 por dólar.  Para o saldo da balança comercial (resultado do total de exportações menos as importações), a projeção de superávit em 2019 subiu de US$ 52 bilhões para US$ 52,24 bilhões.

A previsão do relatório para a entrada de investimentos estrangeiros diretos no Brasil, em 2019, subiu de US$ 79,5 bilhões para US$ 80 bilhões.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *