“A Justiça Militar do Brasil vai ser posta à prova”, diz Victorino, sobre morte no RJ

Uma ação do Exército Brasileiro chocou a população e ganhou os noticiários nesse domingo (7). Militares dispararam mais de 80 tiros contra um veículo, resultando na morte de um homem. No carro, um Ford Ka branco, estava ainda a família da vítima que se dirigia a um chá de bebê e teria sofrido os tiros por engano. O músico Evaldo Rosa dos Santos, 46, morreu na hora, seu sogro está internado e sua esposa, seu filho, de sete anos, e uma amiga da família, não foram atingidos.

“A Justiça Militar do Brasil vai ser posta à prova”, afirmou Gustavo Victorino sobre o caso, durante o Atualidades Pampa desta segunda-feira (8). O advogado e comentarista destacou que diversas questões são controversas, como o fato de que não teria havido ordem para os disparos. “A justiça Militar vai passar pelo crivo da opinião pública”, complementou Victorino, que ainda atestou que ela precisará responder à altura.

Ainda sobre o tema, o também comentarista e advogado Airton Ruschel destacou os problemas envolvendo a presença do Exército nas ruas. “Essas pessoas não estão preparadas para esses confrontos”, afirmou Ruschel. Ele explicou que os soldados, muito jovens, passam por grande tensão no Rio de Janeiro. “Sob tensão, tem que ter preparo”, salientou o advogado.

O Comando Militar do Leste informou que o caso seria investigado pela Polícia Judiciária Militar e teria supervisão do Ministério Público Militar.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *