A Operação Viagem Segura de Nossa Senhora Aparecida reforça a fiscalização nas estradas gaúchas até domingo

A 94ª edição da Operação Viagem Segura começou nesta quinta-feira (11) e se estende até a meia-noite de domingo (14) nas rodovias estaduais e federais do Rio Grande do Sul. As estradas devem receber grande movimentação em direção ao litoral e ao interior do Estado devido ao feriado de Nossa Senhora Aparecida, nesta sexta-feira (12).

A PRF (Polícia Rodoviária Federal), o Detran-RS (Departamento Estadual de Trânsito), a Polícia Civil, a BM (Brigada Militar) e o Comando Rodoviário da BM estão mobilizados para que o feriado seja tranquilo no trânsito, com menos acidentes e vítimas.

A análise dos acidentes fatais decorrentes dos feriados de Nossa Senhora Aparecida (2007-2017) aponta que a média de mortes foi de 6,3 por dia, menor do que a média geral dos finais de semana, que é de 7,2 mortes por dia. Isso representa que a cada três horas e 35 minutos uma pessoa perde a vida no trânsito no Rio Grande do Sul nesse feriado.

No ano passado, como o 12 de outubro caiu em uma quinta-feira, a operação durou cinco dias, contabilizando 19 mortes, com uma média de 3,8 por dia. Mas foi em 2016 que a média histórica foi a maior. O feriado naquele ano caiu em uma quarta-feira, e a operação durou apenas 24 horas, com 12 vidas perdidas.

Nos últimos dez anos, segundo informações do governo do Estado, 52% das mortes ocorreram em rodovias e concentraram-se nos dias de ida e nos intermediários, no turno da noite. Recomenda-se um cuidado redobrado nesses dias e horários. Os municípios que registraram maior número de vítimas fatais foram Porto Alegre (17), Pelotas (9), São Leopoldo (7), Alvorada, Novo Hamburgo e Gravataí (com 6 cada).

Sobre a Viagem Segura

Também atuam como parceiros na Operação Viagem Segura órgãos de trânsito municipais e representantes da sociedade civil organizada, como o Lions Club. As 93 edições da operação desenvolvidas até agora contabilizam mais de 5,4 milhões de veículos fiscalizados e 210 mil testes de bafômetro aplicados.

Foram registradas mais de 962,9 mil infrações, das quais 19 mil autuações por embriaguez, incluindo as recusas ao teste do bafômetro. A fiscalização também recolheu 89,9 mil veículos e 24,6 mil CNHs (carteiras nacionais de habilitação).



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *