A Penitenciária Estadual de Porto Alegre inicia operação e recebe os primeiros detentos

A Pepoa (Penitenciária Estadual de Porto Alegre) já está em operação. Os primeiros detentos começaram a chegar na segunda-feira (22), sob a supervisão da Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe). As informações são da SSP-RS (Secretaria da Segurança Pública do Rio Grande do Sul). Ao todo, foram transferidos 70 presos. A partir da próxima semana serão encaminhados mais detentos, seguindo a metodologia de ocupação gradativa adotada pela Susepe no Complexo Penitenciário de Canoas.

A Pepoa está dividida em três alas, denominadas “módulos de vivência”. Os módulos 1 e 2 correspondem aos antigos centros de triagem para presos provisórios (CTs), que agora fazem parte da unidade prisional. O módulo 3 é maior, dividido em duas galerias. Juntos, os espaços totalizam 624 vagas.

O planejamento, elaborado pela Susepe de acordo com a determinação do secretário da Segurança Pública, Cezar Schirmer, visa ocupar a penitenciária, preferencialmente, com presos condenados. Eles são oriundos da Cadeia Pública de Porto Alegre (CPPA) e dos antigos CTs. Aqueles presos que não se adequarem ao perfil estabelecido para a unidade não serão admitidos.

O perfil dos presos da Pepoa segue o que foi garantido no dia da inspeção da penitenciária, quando a empresa responsável passou ao Estado o imóvel. Ao serem transferidos para a unidade, os detentos utilizarão uniformes e obedecerão às mesmas normas de segurança e receberão tratamento penal semelhante ao do complexo de Canoas.

Os módulos 1 e 2 serão destinados a detentos considerados de menor potencial ofensivo. Nestes locais, haverá a possibilidade de recebimento de presos provisórios e presos em trânsito – em ocasião de apresentação a audiências na Justiça.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *