A polícia prendeu um falso oftalmologista e interditou duas óticas no litoral gaúcho

A Polícia Civil realizou, na quinta-feira (13), uma operação em duas óticas localizadas no Centro do município de Rio Grande, no Litoral Sul do Rio Grande do Sul. Durante a ação, um casal foi preso em flagrante por prática do exercício ilegal da medicina.

O homem se passava por médico oftalmologista. Vários objetos médicos, documentos e R$ 4 mil foram apreendidos. As duas óticas foram interditadas. Os nomes dos estabelecimentos não foram divulgados. A Polícia Civil informou que prossegue com as investigações para apurar crimes contra o consumidor e contra a ordem tributária.

Falso médico

Um falso médico foi preso depois de fazer plantões e atender pacientes no Hospital Municipal de Juara, a 690 quilômetros de Cuiabá, no Mato Grosso. Segundo a Polícia Civil, Eltonlenon da Silva Farias entregou documentos adulterados no nome do primo dele, que supostamente seria médico. A prisão ocorreu no dia 4 deste mês.

De acordo com a Polícia Civil, o secretário de Saúde de Juara,  Antônio Santana, foi quem chamou a Polícia Militar e denunciou o crime. Ele disse que recebeu o nome do suspeito como candidato a trabalhar no Hospital Municipal de Juara. A indicação ocorreu em um grupo de WhatsApp de secretários.

Ainda conforme o secretário, foi feito o contato com o suposto médico, que se prontificou a trabalhar e entregou a documentação dele e o currículo no nome de outra pessoa. Eltonlenon começou a trabalhar no dia 3 deste mês. Ele atuou no plantão das 17h às 7h do outro dia. O criminoso também prestou serviços no horário das 13h às 19h do dia 4.

Segundo a polícia, foram atendidos diversos pacientes, com prescrição de medicamentos e solicitação de exames. O suspeito afirmou usar o registro do Conselho Regional de Medicina no nome do primo dele, que seria médico. Ele explicou que teve acesso ao documento depois que o furtou. Também declarou que o currículo foi feito com dados falsos. O homem foi autuado em flagrante e vai responder criminalmente pelos crimes de estelionato e falsidade ideológica, além de furto.

Falso veterinário

No mês de janeiro deste ano, a Polícia Civil apreendeu em Camaquã, na Região Centro-Sul do Rio Grande do Sul, diversos instrumentos de uso veterinário, medicamentos que somente podem ser vendidos a profissionais da área e documentos que comprovam o exercício ilegal da atividade. Um homem foi detido.

Segundo a delegada Vivian Sander Duarte, os objetos foram recolhidos durante cumprimento de mandado de busca e apreensão na rua Cristovão Gomes, após denúncias de que o homem estaria exercendo ilegalmente a profissão de médico veterinário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *