A prefeitura de Porto Alegre entregou um novo centro de saúde mental com funcionamento 24 horas

O novo Caps AD (Centro de Atenção Psicossocial voltado a usuários de Álcool e Drogas), com funcionamento 24 horas por dia, iniciou as atividades na sexta-feira (21). A data, marcou o aniversário de um ano da publicação da portaria 3588 de 21 de dezembro de 2017, que institui o Caps tipo IV no Brasil. O serviço será oferecido com psiquiatra à disposição durante todo o período, em uma área da cidade com vivência de usuários de drogas. A estrutura é a primeira no País com esta modalidade.

Desde 2012, a Capital não contava com a abertura de um novo Caps. O espaço – chamado de Céu Aberto -, localizado na Vila dos Papeleiros, é administrado pela Associação Educadora São Carlos. A instituição foi qualificada através de edital de chamamento público para receber R$ 519 mil para gerenciar o Caps.

O prefeito Nelson Marchezan Júnior destacou a importância das parcerias com a sociedade civil para entregar um serviço púbico de qualidade. “Temos aqui pessoas vocacionadas para trabalhar de forma ágil e eficiente com quem mais precisa. Gente que rema conta a maré para transformar a vida das pessoas”, diz.

No local, serão realizados 1.500 atendimentos por mês. Conforme o secretário municipal de Saúde Erno Harzheim, a iniciativa irá auxiliar na estrutura da rede de saúde mental do município. “Foram seis anos sem abertura de saúde mental, no momento em que tivemos a intensidade da epidemia da dependência química no Brasil. Revertemos a situação e abrimos diversos leitos qualificados com parceiros”, ressalta Harzheim. Ele destaca que o objetivo não é a internação das pessoas. “Nosso foco é tratá-las interagindo com a comunidade, de portas abertas, com tratamento ambulatorial próximo da área onde vivem. É uma resposta efetiva e adequada para responder ao problema de cada uma dessas pessoas que estão nesta situação”, completa.

A estrutura possui 480 metros quadrados e contará com 20 leitos e 65 profissionais entre médicos psiquiatras, enfermeiros, assistentes sociais, educadores físicos e terapeutas. Neste primeiro momento, uma equipe de nove profissionais trabalha no local e no entorno realizando busca ativa de pessoas em situação de álcool e drogas. No local, haverá oferecimento de banho para os usuários, kits para higiene pessoal, comida, atendimento individual e em grupo, leitos de observação e de permanência. Toda a arquitetura do prédio do Caps IV foi discutida com pessoas em situação de rua para melhorar o acolhimento do local.

Os Centros de Atenção Psicossocial visam oferecer cuidados em saúde mental na comunidade e tem o papel de reduzir o número de internações hospitalares por motivos de saúde mental. Hoje a Capital conta com 12 Caps. Entre o final deste ano e o início do próximo, serão abertos outros dois novos Caps do tipo III (na região Restinga, Leste-nordeste, Sul-Centro Sul – cada um com 12 leitos). Esses serviços servirão de porta de entrada para a dependência química.

O novo Caps faz parte do Plano Municipal de Enfrentamento da Situação de Rua que já beneficiou mais 80 pessoas na Capital com moradia, atendimento médico e emprego. O serviço está previsto para estar com funcionamento 100% no final de janeiro. No mesmo mês, haverá a qualificação do Caps Vila Nova que passará a funcionar 24 horas.

Novos Caps

Em novembro, foi assinado o termo de colaboração para a implantação de outros dois Caps AD III, na região norte e Restinga. Cada um com 12 leitos. A Organização Social IB-SAÚDE foi selecionada por meio de edital público e vai receber R$ 454 mil por mês. Estas novas estruturas devem entrar em funcionamento no mês de fevereiro/2019 e também funcionarão 24 horas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *