Agosto dourado: a importância e os desafios da amamentação

Estamos no agosto dourado, mês da luta pelo incentivo à amamentação. O leite materno é a primeira alimentação de todos nós. Rico em água, vitaminas, proteínas, sendo indispensável para a vida e o crescimento saudável dos bebês. Porém, nem tudo são flores durante este período.

Em algumas situações, as mamães podem sofrer complicações ou até mesmo não gerar a quantidade necessária para o recém-nascido. A equipe da TV Pampa conversou com especialistas para saber os motivos e as soluções para esses problemas.

A rotina essencial até os seis primeiros meses de vida do bebê é o aleitamento materno. E para alertar as mães sobre a importância e como promover todos os benefícios no ato de amamentar, o tema de conscientização deste ano é “A amamentação como chave para o desenvolvimento sustentável”.

“Ele é a ferramenta mais importante, acessível, econômica, sustentável que impacta na saúde do bebê, das crianças, na mortalidade materna e infantil e até na vida adulta”, explicou a médica Silvia Regina Piza.

O ato de amor que muitas mulheres sonham em realizar, porém pode trazer complicações, principalmente nas primeiras semanas da amamentação. São as chamadas fissuras que surgem logo no início quando as mulheres não conhecem a maneira correta de segurar o bebê.

“Para que o neném mame é importante que ele tenha um bom acoplamento da boquinha ao redor do seio para que ele não fique ao mamar macerando e machucando o mamilo, isso é a maior causa”, esclareceu a dermatologista Ana Paula Caramori.

A falta de informação fez com que a mãe de primeira viagem, Kler Flores, tivesse o problema. Logo no primeiro ato, a filha ficou por três horas em seu peito e logo as rachaduras apareceram.

“Daí eu comecei a pensar, caso não melhore eu vou procurar ajuda e daí chegou em um ponto que eu não tolerei mais de começar a sangrar o bico do seio, e ela mamar leite com sangue junto por causa do machucado da fissura”, relatou a biomédica Kler Flores.

De acordo com as recomendações, quando as fissuras começam a aparecer não é indicado parar de amamentar, deve-se procurar um médico que irá orientar o tratamento necessário, para que não haja o surgimento de outros problemas.

“Onde está rachadinho pode entrar bactérias, entrar fungos e isso causar uma outra infecção na mama, assim vai virando um ciclo vicioso, porque o neném fica com dificuldade de mamar, e isso causa o excesso de leite na mama, podendo levar a uma mastite. Então, a gente tem que ter esses cuidados”, comentou a dermatologista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *