Bolsonaro disse que a concessão de rodovias gaúchas vai gerar 4 mil empregos

O presidente Jair Bolsonaro comemorou nesta terça-feira (15) a assinatura da concessão da chamada RIS (Rodovia de Integração do Sul), que interliga 32 cidades gaúchas. A RIS é formada por trechos da BRs 101, 290, 386 e 448. Em um post na sua conta pessoal no Twitter, ele ressaltou que a medida vai gerar 4 mil empregos e melhorará os serviços prestados aos usuários dessas estradas.

“São 473 quilômetros de rodovias no Estado do Rio Grande do Sul que receberão investimentos privados de R$ 7,8 bilhões, sendo 225 quilômetros de duplicação da BR-386 [Rodovia de Produção]”, afirmou o presidente.

No post, Bolsonaro escreveu que a concessão gerará “qualidade no serviço prestado ao usuário”. “O preço final da tarifa será de R$ 4,30, o que representa um deságio de 40% sobre a tarifa-teto estimada no edital [R$7,24]”, explicou.

Assinatura

O contrato foi assinado, na semana passada, pelo ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, em Porto Alegre. A concessão por 30 anos foi contratada com o Grupo CCR, por meio do PPI (Programa de Parcerias de Investimentos). A CCR instalará sete pedágios em todo o trecho.

Entre as obrigações contratadas, a CCR deverá manter nas rodovias sete postos de atendimento aos usuários. Além disso, estarão disponíveis dez ambulâncias, quatro UTIs móveis, 13 guinchos leves, quatro guinchos pesados, três caminhões-pipa e sete veículos de inspeção de trânsito, entre outros equipamentos disponíveis.

O ministro salientou que o projeto foi amplamente discutido com a população, o que culminou em um novo modelo de concessão rodoviária, que, inclusive, será usado como base para uma série de PPPs que o governo Jair Bolsonaro planeja. “Hoje é um dia de festa”, comemorou Freitas em seu discurso. “O RIS representa investimento, redução de custo logístico e incremento do PIB, mas, substancialmente, vai salvar vidas”, acrescentou o ministro, que aproveitou a sua passagem pela Capital gaúcha para realizar visitas técnicas ao Aeroporto Internacional Salgado Filho e às obras da nova Ponte do Guaíba.

Governador

O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, salientou que a concessão simboliza o que a sua gestão busca para o futuro do Estado. “Não podemos nos render à condição de crise fiscal e contaminar a nossa economia com falta de ação e pró-atividade para viabilizar os investimentos que o nosso Estado precisa. Por isso, paralelamente a uma agenda de enfrentamento da crise do governo, é fundamental que se tenha uma agenda de crescimento econômico”, afirmou Leite.

Segundo o governador, essa agenda de desenvolvimento está ligada diretamente à concessão de serviços à iniciativa privada e contempla um importante tripé: desburocratização, redução de custos tributários e redução de custos logísticos. “Se o Estado não tem capacidade de fazer investimentos de vulto em infraestrutura, nem nós nem o governo federal, temos que ter a ousadia de colocar o pé no acelerador da parceria com o setor privado”, pontuou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *