Bolsonaro diz que só aceita ajuda financeira do G7 se Macron “retirar os insultos”

Nesta terça-feira (27) o presidente Jair Bolsonaro disse que só aceitará discutir o recebimento da oferta de US$20 milhões dos países do G7 para ajudar no combate às queimadas na Amazônia se o presidente da França, Emmanuel Macron, voltar atrás em sua afirmação de que Bolsonaro mentiu para ele e desistir de discutir a internacionalização da floresta.

“Primeiramente, o senhor Macron tem que retirar os insultos que faz a minha pessoa. Ele me chamou de mentiroso. Depois, pelas informações que eu tive, a nossa soberania está em aberto na Amazônia. Para conversar ou aceitar qualquer coisa com a França, que seja com as melhores intenções possíveis, ele vai ter que retirar essas palavras”, afirmou Bolsonaro, na saída do Palácio da Alvorada e acrescentou: “primeiro retira, depois oferece, daí eu respondo”.

Bolsonaro declarou também que não ofendeu a primeira-dama da França, Brigitte Macron, ao endossar um comentário em sua página no Facebook que zombava dela. O presidente diz que falou para um seguidor seu não “falar besteira” e destacou que não se mete na “questão pessoal”. “Não queiram levar para esse lado, que a questão pessoal e familiar eu não me meto. Eu sei porque falei para o cara não entrar nessa área. Se continuar pegunta nesse padrão, vai acabar a entrevista”, ameaçou Bolsonaro. “Realmente, o jornalismo, vocês não merecem a consideração”, afirmou, abandonando a entrevista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *