Colisão entre dois trens deixa oito feridos e um morto no Rio de Janeiro

Por Juliano Castello e Isadora Aires
O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é trens.jpg
(Foto: Reprodução/TV)

Dois trens da empresa Supervia bateram na estação São Cristóvão, na cidade do Rio de Janeiro, na manhã desta quarta-feira (27). Os bombeiros registraram oito pessoas feridas sem gravidade e todas foram encaminhadas para o Hospital Souza Aguiar. Mais de sete horas de resgate passadas, o maquinista foi retirado do meio das ferragens. Apesar de ter ficado consciente durante todo o período, ele veio a óbito alguns minutos depois.

A colisão aconteceu na baldeação com a linha 2 do metrô, entre um trem do ramal Deodoro, em direção a região Central, e uma composição de serviço. Um sindicância será instaurada para verificar as causas do acidente. Segundo informações do jornal carioca “O Dia”, os sinais das linhas da SuperVia entre as estações Central do Brasil e São Cristóvão estariam verdes segundos antes da colisão entre os dois trens. Isso significaria que o maquinista que bateu na composição teve a permissão dos controladores de tráfego para seguir a viagem.

No fim da tarde de hoje (27), a SuperVia emitiu uma nota em que manifesta sobre o acidente e lamenta a morte do maquinista:

Lamentamos o falecimento do maquinista Rodrigo da Silva Ribeiro Assumpção, ocorrido hoje, por volta das 15h30, após mais de oito horas de atendimento por parte do Corpo de Bombeiros. Rodrigo era o maquinista de um dos trens que se chocaram nessa manhã, por volta das 6h50, na estação São Cristóvão, do ramal Deodoro.

Rodrigo da Silva Ribeiro Assumpção era nosso funcionário desde 2011, quando passou por vários treinamentos para assumir a função de maquinista, que desempenhava havia cinco anos. Ele era casado e tinha dois filhos. Estamos prestando toda assistência à família.

No acidente, oito pessoas ficaram feridas e foram encaminhadas aos hospitais da região. De acordo com o Corpo de Bombeiros, a maioria delas já foi liberada.

Os dois trens envolvidos no acidente, assim como a linha 1 do ramal Deodoro, estavam equipados com o ATP (Automatic Train Protection), sistema que reforça a sinalização. Instauramos uma sindicância que vai apurar as causas do acidente no prazo de 30 dias.

Termo de Ajustamento de Conduta

Procurada pela Defensoria Pública do Estado do Rio de Janeiro, a SuperVia assinou hoje o Termo de Ajustamento de Conduta como forma de buscar a reparação individual e coletiva dos danos provocados pelo acidente. De acordo com o TAC, as vítimas terão 120 dias para buscar a reparação e precisam comprovar o dano ou terem procurado atendimento em uma unidade pública de saúde, entre hoje e amanhã (28/02).

Para mais informações, as vítimas podem entrar em contato por meio do SuperVia Fone (0800 726 9494) ou da Defensoria Pública, pelo número 21 2868 2100/ramal 297 ou pelo email coletivadefensoria@gmail.com.

A SuperVia também vai distribuir 30 mil bilhetes para os passageiros do ramal Deodoro, nos próximos 30 dias, como medida de reparação coletiva e passará a integrar um grupo de prevenção de acidentes, a ser criado pelo Governo do Estado do Rio de Janeiro.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *