Comemorações em Porto Alegre marcam os 100 anos da República Tcheca

O centenário da República Tcheca, após a separação da Tchecoslováquia e Eslovênia, em 1918, foi celebrada na manhã desta quarta-feira (31) na Capital, na presença de autoridades e convidados. O evento aconteceu no Memorial do RS, localizado na Praça da Alfândega, local que também abriga uma exposição de fotos e artes plásticas que narram momentos importantes destes cem anos. Além disso, a República Tcheca também ganha maior ênfase, pois foi escolhida como o país destaque da 64ª Feira do Livro, que abre suas portas nesta quinta-feira (01), se estendendo até o dia 18 de novembro na Praça da Alfândega.

O cônsul honorário da República Tcheca em Porto Alegre, Fernando Lorenz de Azevedo, abriu a cerimônia reiterando que a escolha do País pela Câmara Riograndense do Livro representa um resgate histórico deste centenário, lembrando também “que o RS conta com uma vasta comunidade tcheca aqui instalada”, não só na Grande Porto Alegre, mas também em Nova Petrópolis, Venâncio Aires, Missões, entre outras regiões.

Leandro de Lemos, secretário de Desenvolvimento Econômico do município diz que a comemoração é pioneira pois instala e incentiva um novo projeto da Prefeitura Municipal de Porto Alegre que é a criação das Semanas Internacionais e diz que a iniciativa deverá impulsionar outras embaixadas e consulados para ações similares durante todo o ano. O foco, segundo ele, “é a internacionalização da cidade e o desenvolvimento econômico passa por romper fronteiras. Queremos uma Porto Alegre global” e com a celebração dos 100 anos da República Tcheca a Feira do Livro passa a oferecer ao visitante história e integração. “A união destes matizes é fundamental para o próprio desenvolvimento das cidades”.

O presidente da Câmara Riograndense do Livro, Isatir Botin, reforçou “a escolha do País homenageado na Feira do Livro, como sendo uma oportunidade para integrar os povos gaúcho e tcheco”. Na sequência, a patrona da Feira do Livro de 2018, Maria Carpi, agradeceu à CRL pela escolha do país homenageado e fez referência a grandes autores tchecos, como Kafka, por exemplo. Da mesma forma, a secretária Estadual de Ciência, Desenvolvimento e Tecnologia, Susana Kakuta, recordou a comitiva do Governo do Estado, em visita à República Tcheca em 2016, na busca de acordos bilaterais, sinalizando que “o RS tem muito a ganhar com esta internacionalização com foco no desenvolvimento”.

O encerramento da festividade contou com a palavra da cônsul geral da República Tcheca em São Paulo, Pavla Havrlikova que agradeceu ao Governo do RS, Prefeitura e Câmara do Livro e ao cônsul honorário de Porto Alegre, lembrando também as datas importantes que marcaram o centenário e que estão registradas na exposição que o Memorial do RS exibe até o encerramento da Feira do Livro.

Durante a Feira, a escritora tcheca Marketa Pilatova, que reside há sete anos na Capital e leciona a língua tcheca na Universidade Federal do RS, estará lançando um livro de poesias, intitulado Detendo o Vento. Será na sexta-feira (02), às 17h30min, na Praça de Autógrafos. A escritora assina mais de uma dezena de obras, entre prosas e literatura infantil. (Clarisse Ledur)






Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *