Complexo Hospitalar Mãe de Deus investe 144 milhões de reais em obras de modernização, expansão e inovação

Um projeto inovador, que pontua a modernização e expansão do Hospital Mãe de Deus começa a sair do papel, com o objetivo de entregar à sociedade gaúcha um complexo adequado à demanda de mercado. O anúncio foi divulgado na manhã desta quinta-feira, pelo superintendente executivo do HMD, Fábio Fraga, e pelo superintendente geral, Fernando Barreto, que responde pela AESC (Associação Educadora São Carlos), instituição mantenedora do Grupo Hospitalar Mãe de Deus.

O projeto, assinado pela EMED Arquitetura Hospitalar, deverá representar um investimento na ordem de R$ 144 milhões, com finalização de suas quatro etapas previstas para 2024, elevando em 30 por cento a capacidade de atendimento do complexo, beneficiando diferentes áreas e especialidades clínicas, em um total de 37 mil metros quadrados de área ampliada. Segundo Fernando Barreto, o objetivo é que o empreendimento seja executado com recursos próprios, devendo representar cerca de 1 mil novos empregos diretos. “A partir de agora, investiremos prioritariamente no Hospital Mãe de Deus, trazendo uma medicina moderna com conforto e acesso a novas soluções assistenciais”, como reitera Barreto.

As obras deverão iniciar no segundo semestre. A primeira etapa inclui a criação de dois novos prédios, ampliação da Emergência e avançado centro de radioterapia. A fase contempla 105 novos leitos de internação e 20 leitos de hospital/dia para casos de baixa complexidade, consultórios e novos acessos para internações. Além disso, mais 20 novos leitos de CTI Neonatal, expansão do Centro Obstétrico e, como novidade, um heliponto. A conclusão será em 24 meses.

Já a segunda etapa, com a construção de outro prédio na Rua Grão Pará, prevê a inclusão de Serviços de Imagem e Diagnósticos, que ganharão novos recursos em tecnologia. Um terceiro módulo construtivo contará com um novo Centro Cirúrgico com 20 salas operatórias e 40 leitos de recuperação, além de nova CTI Adulta com 60 leitos, ambos na Rua Costa.

Completando o projeto, a quarta fase prevê a repaginação da Torre Alfa, que foi a primeira unidade construída do HMD, e que será totalmente modernizada e integrada às demais estruturas. “Sem dúvida, entregaremos um Hospital Mãe de Deus que trará muito orgulho e satisfação aos clientes, médicos e colaboradores”, afirma o superintendente executivo da instituição, Fábrio Fraga. “É um projeto modular bastante arrojado, que traz o que há de melhor a nível mundial no campo hospitalar. É um projeto racional, compatível com a qualidade corporativa que o nome Mãe de Deus carrega”, adequado, segundo o superintendente, “aos seus dogmas”, visando cada vez mais ofertar à comunidade melhores ferramentas de saúde. (Clarisse Ledur)



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *