Congresso Nacional acumula 32 pedidos de impeachment e sete de CPIs contra Bolsonaro

Partidos da oposição e de centro intensificaram a ofensiva contra o presidente Jair Bolsonaro no Congresso, ao mesmo tempo em que o governo tenta se blindar aproximando-se cada vez mais de líderes do Centrão.

Ao menos sete pedidos de criação de CPIs (comissões parlamentares de inquérito) para investigar o chefe do Executivo estão na fila para serem atendidos, e os requerimentos de impeachment se acumulam na mesa do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ). Nesta quinta-feira (21), mais um foi apresentado, totalizando 32.

Um dos pedidos de CPI mais avançados é o encabeçado pelo Cidadania, que tem como foco investigar as acusações feitas pelo ex-ministro da Justiça Sérgio Moro, de que Bolsonaro tentou interferir na Polícia Federal para proteger aliados. “Aqui no Senado, já temos quase todas as assinaturas necessárias”, afirmou a senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA), sem, no entanto, revelar quantas faltam. Para ser criada, é preciso o apoio de 27 parlamentares.

Na Câmara, onde são necessárias 171 assinaturas, o deputado Arnaldo Jardim (SP), líder do Cidadania, disse não ver contraposição entre a investigação parlamentar e a que é conduzida pela Procuradoria-Geral da República sobre o caso. “São esforços que se somam”, declarou.

Impeachment

Nesta quinta-feira, partidos de oposição protocolaram um pedido coletivo de impeachment contra Bolsonaro.  A diferença, agora, é que siglas, movimentos sociais e associações se uniram para fazer pressão pela saída do presidente através de um documento único. Os outros pedidos haviam sido apresentados individualmente por parlamentares.

No pedido, a oposição denuncia Bolsonaro com base em três pontos principais. São eles: o apoio ostensivo do presidente e sua participação direta em manifestações contra o Congresso e o Supremo Tribunal Federal durante a pandemia do novo coronavírus; as suspeitas de interferência política na Polícia Federal; e os pronunciamentos feitos em cadeia nacional contra o isolamento social, recomendado pela Organização Mundial da Saúde e entidades médicas.

Em apelo ao presidente da Câmara para que aceite o pedido de impeachment, parlamentares de partidos como PT, PSOL e PCdoB fizeram um evento no Salão Nobre da Casa para apresentar a denúncia contra Bolsonaro. Estavam presentes a presidente do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PT-PR), o senador Rogério Carvalho (PT-PR), o deputado Paulo Pimenta (PT-RS), e a líder do PSOL na Câmara, Fernanda Melchionna (PSOL-RS). As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *