Dezoito criminosos foram presos durante uma operação de combate a homicídios em Porto Alegre

Agentes da 3ª Delegacia de Polícia de Homicídios e Proteção à Pessoa deflagraram, na manhã desta quinta-feira (29), a Operação Primeiro Comando com o objetivo de combater homicídios praticados por organizações criminosas rivais ligadas ao tráfico de drogas que disputam pontos de venda de entorpecentes em Porto Alegre. Dezessete criminosos foram presos e um adolescente foi apreendido durante a ação.

Aproximadamente 5 mil reais em dinheiro, um veículo e telefones celulares foram recolhidos pelos policiais civis. Cerca de 180 agentes, com o apoio da Susepe (Superintendência dos Serviços Penitenciários) e da Força Nacional, cumpriram 34 mandados de busca e apreensão e 21 mandados de prisão preventiva em Porto Alegre, no litoral gaúcho, no Presídio Central e na Penitenciária Modulada Estadual de Charqueadas.

Segundo o delegado Cassiano Cabral, a operação se desenvolveu a partir de um inquérito policial sobre um homicídio ocorrido no início de setembro. Com o uso de interceptações telefônicas, foi possível identificar uma organização criminosa por trás desse homicídio e de pelo menos mais seis assassinatos que ocorreram desde o mês de setembro na Vila Santa Maria, na Vila Esperança e no bairro Passo das Pedras, na Zona Norte da Capital gaúcha.

“Foi constatado que essa organização criminosa sofreu um racha devido a desentendimento dos dois principais líderes. Eles passaram a disputar os mesmos pontos de drogas que antes eram dominados em comum acordo. Um dos líderes deixou a organização criminosa, havendo uma separação do grupo”, disse o delegado.

Pela proximidade das áreas, Vila Esperança e Santa Maria, houve uma tensão muito grande no local, com constantes tiroteios e a comunidade tendo que conviver com a violência gerada por grupos rivais naquela região. Dois gerentes do grupo que estavam em liberdade foram presos, um em Osório e outro na Vila Santa Maria. Um deles estava com quantia significativa de dinheiro e um veículo. Oito dos principais líderes já estavam presos. “O objetivo da operação também foi agir para não fortalecer uma ou outra organização”, concluiu o delegado Cassiano Cabral.

Tele-entrega

A Polícia Civil deflagrou, na manhã de quarta-feira (28), a Operação Conde para combater um esquema de tele-entrega de drogas em universidades, shoppings, supermercados e áreas residenciais em Porto Alegre. Foram cumpridos 15 mandados judiciais, sendo oito de prisão e sete de busca e apreensão. Os alvos foram os principais gerentes do esquema criminoso.

Drogas e veículos utilizados para o tráfico foram apreendidos e três pessoas foram presas. Os trabalhos de investigação do Denarc (Departamento Estadual de Investigações Criminais) apontaram a existência de um esquema organizado de distribuição e venda de drogas, nos moldes empresariais, com divisão de tarefas e distribuição de funções.

O foco do grupo era a venda de drogas por tele-entrega, com o uso de diversos motoristas, motocicletas e aplicativos para celular. O grupo mantinha uma clientela fixa para a aquisição dos entorpecentes, de acordo com a Polícia Civil.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *