DMLU faz manutenção de cestos coletores e instala lixeiras

O DMLU (Departamento Municipal de Limpeza Urbana), iniciou a manutenção de 745 cestos coletores, feitos em aço galvanizado e pintados na cor laranja. O serviço prevê a troca de bojo, de haste ou mesmo a substituição do kit completo. As lixeiras haviam sido adquiridas por licitação, através do contrato 02/2016, no valor de R$ 1,123 milhão e ainda estão em estoque.

Também serão implantadas 45 novas unidades em pontos localizados nas avenidas Salgado Filho e Borges de Medeiros, prioritariamente nas paradas de ônibus. A operação de manutenção e instalação dos cestos iniciou-se em janeiro e deverá estender-se até meados do mês de março.

“A prefeitura está fazendo a sua parte e conta com o auxílio da população para que utilize os novos cestos corretamente, não descartando resíduos de forma irregular. A operação de recolhimento de descartes irregulares de lixo pela cidade gera R$ 1,3 milhão de gastos mensais aos cofres públicos, valores que poderiam ser utilizados em outros serviços em benefício da sociedade”, afirma o secretário Ramiro Rosário.

A Divisão de Apoio Operacional do DMLU está atendendo às solicitações de reposição e instalação de cestos coletores através do sistema 156 e formou um grupo de trabalho que vistoriou 90 quilômetros de extensão dos bairros Centro Histórico, Cidade Baixa, Farroupilha, Praia de Belas, Bom Fim e Independência. O objetivo foi diagnosticar as condições de conservação destes equipamentos e a necessidade de ampliação do quantitativo. Foram georeferenciados 790 cestos para manutenção e instalação, tendo sido realizados, até o momento, 23% do total de serviços de manutenção programados.

Cestos coletores

Este equipamento deve ser utilizado para o descarte de pequenos resíduos e não para resíduos gerados em casa. Para resíduos domiciliares e seletivos, há dias específicos para a coleta, realizada por meio de caminhões ou no caso de áreas atendidas por contêineres, os resíduos podem ser descartados diariamente. As lixeiras de rua são limpas pelas equipes de garis. O descarte de resíduos no chão é passível de multa de 90 UFMs ou R$ 361,30.

DMLU recebe mais de 23 toneladas de resíduos eletrônicos

Os Pontos de Entrega de Resíduos Eletrônicos receberam cerca de 23,3 toneladas de materiais eletrônicos no segundo semestre de 2018. No primeiro semestre do ano passado, foram coletadas 25,2 toneladas de resíduos. Os pontos são uma alternativa de descarte correto promovidos pelo DMLU, órgão que integra as secretarias municipais de Serviços Urbanos e do Meio Ambiente e da Sustentabilidade, em parceria com a empresa Trade Recycle.

Nos locais, podem ser descartados eletrônicos diversos, como notebooks, CPUs, monitores, celulares e impressoras que caíram em desuso, assim como eletrodomésticos de linha branca, azul e marrom.

Estes materiais podem conter metais pesados, classificados como perigosos e com elevado índice de contaminação, como bromo, chumbo e mercúrio. Quando estes resíduos são descartados corretamente, é possível evitar a contaminação com as sustâncias perigosas que estes objetos possuem, além de possibilitar o reaproveitamento de suas peças.

“Os eletrônicos estão cada vez mais presentes no cotidiano das famílias e das empresas. Esta parceria entre a iniciativa privada e a prefeitura possibilita que seja dado o destino correto a estes resíduos, inclusive com sua possível reutilização pela indústria”, afirma o secretário municipal de Serviços Urbanos, Ramiro Rosário.

Porto Alegre possui pontos fixos de recebimento de resíduos eletrônicos à disposição da população, que podem ser consultados no site da prefeitura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *