Em meio a uma onda de calor, temporais devem atingir o Rio Grande do Sul

A semana começou com temperaturas elevadas e sensação de abafamento em Porto Alegre e no interior do Rio Grande do Sul. O calor prossegue nesta terça-feira (18) em praticamente todo o Estado. Com a temperatura alta e a umidade disponível na atmosfera, há formação de chuva com risco para temporais na Capital e no interior do Estado.

De acordo com a MetSul Meteorologia, a segunda metade do mês de dezembro terá altos volumes de chuva em todo o Rio Grande do Sul. “Vamos ter uma alta frequência de chuva e um grande número de dias com registro de chuva e que irá afetar a média histórica em Porto Alegre”, destacou a meteorologista Estael Sias. Confira a previsão do tempo para Porto Alegre nos próximos dias:

Terça-feira: muitas nuvens provocam chuva ao longo do dia. A chuva será forte ocasionalmente com raios e trovoadas e com volumes elevados. O vento sopra fraco a moderado do quadrante Leste/Sudeste. A temperatura sobe menos. Mínima de 21°C e máxima de 32°C.

Quarta-feira: o sol aparece com variação de nuvens, mas períodos de maior nebulosidade provocam pancadas de chuva, sobretudo no decorrer da tarde para a noite. Não se descarta chuva localmente forte e risco de temporal. O vento sopra do quadrante Sul fraco a ocasionalmente moderado. A temperatura volta a subir, provocando calor e abafamento.

Quinta-feira: o sol até aparece entre nuvens, mas haverá muitas nuvens que provocam chuva em alguns momentos no decorrer do dia. O vento sopra fraco do quadrante Leste/Sul. A temperatura sobe menos, mas permanece elevada. Mínima de 22°C e máxima de 30°C.

Sexta-feira: o sol aparece com variação de nuvens, entretanto períodos de maior nebulosidade voltam a provocar chuva no decorrer do dia. O vento sopra fraco a ocasionalmente moderado do quadrante Oeste. A temperatura terá menor elevação, mas ainda deixa o ar abafado. Mínima de 20°C e máxima de 29°C.

Conferência da ONU

O governo gaúcho participou da 24ª Conferência do Clima da ONU (Organização das Nações Unidas), a “COP 24”, na cidade de Katowice, na Polônia. A secretária do Ambiente Desenvolvimento Sustentável, Ana Pellini, apresentou as ações implantadas no Estado para adaptação aos riscos hidroclimáticos.

O Rio Grande do Sul foi um dos fundadores da iniciativa “Regions Adapt”, criada na “COP 21”, quando assumiu a coordenação da temática recursos hídricos. Conforme a titular da pasta, em 2015 havia apenas 45 estações de rede hidrometeorológica. Atualmente, são 693 unidades instaladas, permitindo através da Sala de Situação o monitoramento do clima sete dias por semana e 24 horas por dia.

“Criamos uma política estadual com foco na redução dos prejuízos econômicos e de vítimas dos eventos extremos como inundações, granizo, vendavais e estiagens”, ressaltou Ana Pellini. “Articulamos uma rede de radares meteorológicos com a Argentina e o Uruguai, que nos permite a formação de uma ampla cobertura de território, possibilitando a formação de quadros de tempo atualizados a cada seis minutos.”



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *