Entidades pedem o cancelamento do Acampamento Farroupilha 2020

Quarenta e cinco membros de piquetes e centros de tradições gaúchas enviaram uma carta aberta à presidente do movimento tradicionalista gaúcho, ao presidente da comissão dos festejos farroupilhas, e aos órgãos responsáveis de Porto Alegre e do estado pedindo o cancelamento do acampamento farroupilha deste ano.

Uma das justificativas do documento é que muitos dos tradicionalistas que acampam no Parque Harmonia pertencem ao grupo de risco para a Covid-19. Segundo Wilson Godói, integrante de um dos piquetes, a intenção, é dar prioridade à saúde e à vida, dos próprios acampados, e dos milhares frequentadores que costumam visitar o acampamento farroupilha.

“Quem frequenta o parque sabe que a faixa etária dos participantes é basicamente a do grupo de risco, o parque recebe em média um milhão de visitantes por edição, não há condição de garantir a questão sanitária”, ressaltou o integrante do Piquete Herança Farrapa, Wilson Godói.

Para o presidente da comissão dos festejos farroupilhas, e vice-presidente do movimento tradicionalista gaúcho, a realização do acampamento neste ano é inviável. César Oliveira ressalta ainda que não recebeu um retorno da prefeitura de Porto Alegre sobre o cancelamento do evento.

“O MTG é um órgão que faz a gestão do Parque Farroupilha quando concedido, quem pode dar a resposta de sim ou não, dá forma que vai acontecer é o prefeito de Porto Alegre. O que nós estamos buscando é uma alternativa de fazer e tirar proveito assegurar o acampamento do ano que vem com injeção de verba, com injeção de pessoas, com tudo isso aí para que a gente possa ter capacidade de fazer um bom acampamento”, esclareceu o presidente da comissão dos festejos farroupilhas, César Oliveira.

O manifesto, ressalta que a decisão é consequência de diálogos onde prevaleceu o bom senso. As entidades avaliam que, agindo desta forma, não contribuem para a transmissão comunitária da Covid-19, além de evitar aglomerações. Segundo o grupo, haveria dificuldade para a garantia da observação efetiva dos procedimentos mínimos de higiene e de distanciamento entre pessoas nos galpões e demais áreas de circulação.

A prefeitura da capital estuda fazer parte do evento no formato virtual, mas ainda não tem uma definição sobre o tema.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *