Paulo Sérgio Pinto entrevista candidato João Derly, que concorre à prefeitura de Porto Alegre

Dando sequência à série de entrevistas com os concorrentes à Prefeitura de Porto Alegre, o Pampa Debates desta terça-feira (13) recebeu o candidato João Derly, do Republicanos.

Hoje com 39 anos, Derly é natural de Porto Alegre, e passou a infância no Morro Santana. Há muito tempo o esporte faz parte da vida do candidato. “Judô começou na minha vida em 1988. Eu estava para fazer 7 anos, era asmático e meus pais me colocaram para fazer o esporte.”

O incentivo dos familiares deu certo, tanto que ele passou a treinar na Sogipa. Em 2005, Derly foi o primeiro brasileiro a conquistar o Campeonato Mundial de Jodô – e não parou por aí. “Defendi o título em 2007 e fui o primeiro da América Latina a ser bicampeão mundial. A medalha que não conquistei foi a olímpica”, brincou. E foi o esporte que o aproximou da vida pública.

O primeiro cargo político de Derly foi como vereador de Porto Alegre em 2012. Ele se elegeu como o segundo mais votado, com mais de 14 mil votos. Em 2014, concorreu como deputado federal. “Foi importante [ser vereador] para entender os trâmites burocráticos dentro do parlamento.” Ao disputar a reeleição, não alcançou a vitória, mas, foi escolhido pelo governo Eduardo Leite para ser secretário do Esporte e Lazer do Rio Grande do Sul. Neste ano, Derly deixou o cargo para se candidatar à prefeitura de Porto Alegre.

Ao falar sobre educação, ele deixou claro que o esporte nas escolas deve estar presente. “A gente entende que temos que caminhar com um plano municipal de educação com atividades que mostrem a importância do esporte também.”

Sobre questões da capital, Derly comenta que poucas questões estão corretas na cidade. “A cidade está triste, está escura. Onde a gente vai é esgoto a céu aberto, falta moradia, falta água e o cuidado com as pessoas”, opinou. O que está faltando, segundo ele, é vontade de fazer dar certo. “Passa gestão, entra gestão e só no final começam a colocar máquinas na rua para mostrar que estão trabalhando. Temos limitações financeiras, mas a boa vontade deve acontecer”, finalizou o candidato.

ASSISTA AO PROGRAMA NA ÍNTEGRA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *