Estelionato virtual: golpes podem até clonar o WhatsApp

No primeiro semestre de 2021, os estelionatos virtuais cresceram quase 60% no Rio Grande do Sul. Os dados da Segurança Pública do estado refletem os golpes aplicados por criminosos, que assustam os gaúchos. Saiba como se prevenir.

A Luiza precisava vender o carro. Ela escolheu a internet como meio de anunciar o veículo e buscar compradores interessados. A Luiza nunca havia usado uma plataforma assim e foi surpreendida logo após publicar o carro para venda.

“Me ligou uma pessoa, um cara falando que era do Mercado Livre e que precisava confirmar os dados para poder ativar o meu anúncio. Ele falou que ia mandar o link no SMS e pediu para eu confirmar para ele se tinha chegado e qual era o número. Ele falou que ia chegar um número e pediu para que eu passasse para ele para dar continuidade aqui, porque inclusive já tinha pessoas interessadas, só que eles não estão conseguindo ver o seu anúncio. E aí do nada, o meu WhatsApp sumiu”, contou a estudante Luiza Pontual.

A Luiza tinha acabado de ter o WhatsApp clonado. O código, que o suposto funcionário pedia no telefone, era na verdade a verificação do aplicativo, que permitiu abrir a conta do WhatsApp da Luiza em outro telefone.

“Eu peguei e liguei para o meu pai, ele falou que eu tinha acabado de cair no golpe do WhatsApp, e daí nisso, disse para eu já avisar todo mundo porque eles iam pedir dinheiro no meu nome. Daí eu coloquei no Instagram, Facebook, avisei as pessoas mais próximas e, quando deu uma hora, a minha amiga me ligou falando que tinha depositado dinheiro”, relatou Luiza.

Essa amiga era a Thaís, que não desconfiou quando viu o número que tinha salvo como sendo da Luiza chamando ela até pelo apelido. “Ele me chamou “oi baleinha”, que é como ela me chama e eu já tinha certeza que era ela. A gente ficou conversando e ela falou que precisava de dinheiro porque estava com uma conta pendente. Eu não tinha dinheiro para emprestar para ela, o que eu fiz: ela precisa de dinheiro, não vou deixar ela na mão, ela sempre me ajudou e eu pedi dinheiro emprestado para a minha irmã”, comentou a administradora Thaís Pontes.

Casos como esse fazem parte dos mais de 43 mil estelionatos registrados no Rio Grande do Sul em 2021. Só em julho, foram mais de seis mil casos que chegaram ao conhecimento da polícia. E entre diversos tipos de golpes, os valores podem chegar na casa dos três dígitos.

“Na questão do WhatsApp, da criação de conta falsa, chegou caso já de R$ 200 mil que a vítima depositou. Em falsos leilões, geralmente, os valores são um pouco mais altos em razão das compras de bens, de veículos, entre outros”, destacou o delegado André Anicet.

Um ato muito simples pode bloquear as tentativas de clonagem no WhatsApp. O aplicativo possui a verificação em duas etapas. Um mecanismo de segurança pensado para impedir acessos não autorizados. São apenas três cliques que deixam seu WhatsApp muito mais protegido.

“Mas infelizmente, nós sabemos que as pessoas ainda não ativam, muitas vezes, as configurações de privacidade por padrão, tornando-se presa fácil para o criminoso digital. Então a melhor recomendação é ativar todas as opções de privacidade de segurança que os aplicativos nos dão hoje em dia”, explicou o especialista em crimes cibernéticos, José Milagre.

Além de utilizar as ferramentas de segurança, o mais importante é ficar atento e sempre desconfiar de algo vantajoso em troca de informações pessoais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *