FCDL-RS aponta: Região Sul registra, em outubro, crescimento no total de consumidores inadimplentes

O levantamento mensal da inadimplência realizado pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) trouxe uma notícia não muito boa para a Região Sul do país. Ao final do mês de outubro, o número de moradores do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná com alguma restrição no CPF totalizou 8,48 milhões, número levemente superior aos 8,46 milhões registrados em setembro passado. Houve um crescimento de 0,9% na comparação mensal, enquanto que na comparação anual a elevação chegou a 4,11%.

Atualmente, 37,3% da população adulta dos três estados possui débitos que não conseguiram quitar e, por isso, estão registrados em lista de devedores. Na avaliação do presidente da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Rio Grande do Sul – FCDL-RS, Vitor Augusto Koch, o quadro mostra que, mesmo com o fim da recessão e a gradual retomada da economia, os consumidores ainda não conseguiram recuperar a capacidade de quitarem seus compromissos de forma integral.

– O mercado de trabalho ainda não conseguiu ter um crescimento expressivo no número de empregos gerados. Diante disso, o orçamento da maioria das famílias continua curto, o que se reflete de forma negativa no pagamento das pendências e na propensão de consumo da população – avalia Vitor Augusto Koch.

A expectativa do presidente da FCDL-RS é que 2019 traga um novo ciclo virtuoso para a economia brasileira e que isso se reflita na geração de mais emprego e renda. Para tanto, de acordo com Vitor Augusto Koch, serão necessárias a adoção de medidas governamentais que favoreçam o empreendedorismo e a retomada da confiança dos investidores no Brasil.

Sempre é importante lembrar que as pessoas com débitos procuram fazer um esforço para quitá-los, uma vez que as restrições ao CPF impedem que os clientes negativados possam obter financiamentos ou realizar compras parceladas. Nesse sentido, Vitor Augusto Koch destaca que os consumidores inadimplentes priorizem o pagamento das dívidas que possuem juros mais elevados, uma vez que elas crescem de forma vigorosa caso o débito não seja quitado.

– As festas de final de ano podem servir de incentivo para que os moradores da Região Sul inadimplentes recuperem crédito no mercado. Quem se encontra nessa situação deve aproveitar a renda extra do período natalino, como 13º salário e bônus, para procurar o credor e renegociar a dívida, com condições mais vantajosas e, quem sabe, juros menores –afirma o presidente da FCDL-RS.

No que diz respeito ao número de dívidas em atraso em nome de pessoas físicas, houve avanço de 0,70% na Região Sul na comparação entre outubro e setembro de 2018. A média no RS, SC e PR é de 2,2 dívidas em aberto por pessoa inadimplente. Em todo o Brasil o levantamento da CNDL e do SPC apontou que o total de negativados chegou a 62,89 milhões ao final de outubro, o que representa 40,9% da população adulta brasileira.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *