Fórum das Cidades Inteligentes, Humanizadas e Inovadoras aponta caminhos para o desenvolvimento sustentável

Porto Alegre sediou nesta quinta-feira, no Teatro do CIEE-RS, o 1º Fórum das Cidades Inteligentes, Humanizadas e Inovadoras – SMARTCITIES – Governança na Gestão Pública das Cidades. A iniciativa é do Fórum Nacional das Parcerias Público-Privadas com apoio da Prefeitura de Porto Alegre. O presidente de ambos os fóruns é Marcino Fernandes Rodrigues Junior, que destaca a importância do evento na discussão de ferramentas tecnológicas e de informação para a governança da gestão pública, principalmente com foco em seus municípios, a partir de PPPs (Parcerias Público Privadas). O tema envolve “decisão política do gestor”, com base na construção de leis municipais, como defende Marcino Fernandes Rodrigues Junior.

A abertura oficial do evento contou com a presença do vice-prefeito de Porto Alegre, Gustavo Paim, e do advogado Marcino Fernandes Rodrigues Junior, presidente do Fórum Nacional das Parcerias Público-Privadas (foto). (Crédito: banco de dados/O Sul

 

Advogado e um dos principais defensores das PPPs, ele reitera que o Estado e os municípios estão sem recursos e aqueles que ainda não estão operando no vermelho, estão com suas verbas comprometidas com a saúde e educação. As PPPs constituem a única saída, na visão do executivo, para o desenvolvimento econômico das regiões. “O desafio é grande mas temos perspectivas com companhias nacionais e internacionais dispostas a investir no Estado”. Um exemplo é a Corsan (Companhia Riograndense de Saneamento), que está com negociações já bem encaminhadas para receber investimentos na casa dos 2 bilhões de reais, voltados à universalização da rede de esgotos, em um prazo de 11 anos, beneficiando dezenas de municípios, gerando mais de 30 mil empregos.

Nas áreas de energia e ambiental, as perspectivas são promissoras, devendo atrair empresas do País e do exterior. O Fórum das Cidades Inteligentes, Humanizadas e Inovadoras também deverá chegar no próximo ano a Florianópolis, Curitiba, São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Belo Horizonte e Salvador.

Bruno Vanuzzi, secretário municipal de Parcerias Estratégicas diz que dois projetos estão bem alinhados, aguardando por licitações, em breve, como espera o secretário. Um deles diz respeito ao mobiliário urbano, devendo responder pelo retorno dos relógios de rua na Capital, desta vez, com diferenciais importantes na medida em que o equipamento contará com câmeras, contribuindo para a segurança. “Teremos 168 câmaras nas ruas, ligadas a fibras óticas”. Além disso, os relógios de rua trarão mensagens à comunidade, informando desvios de trânsito, obras, congestionamentos, entre outros dados, além de disponibilizar serviços de HI FI.

Um segundo projeto é voltado à iluminação pública, envolvendo investimentos de 200 milhões de reais para a colocação, em três anos, de lâmpadas de LED em toda a cidade. “Estaremos criando as primeiras redes de cidades inteligentes, com tele gestão de iluminação pública em grandes avenidas e suas alimentadoras”. Segundo o secretário, “é a primeira etapa para a cidade se tornar digital”, com negociações bem adiantadas com o BNDES e com o edital já completo em 90% de sua totalidade. “Belo Horizonte é o nosso paradigma, onde uma PPP de iluminação pública serve de base para o nosso projeto”, finaliza Vanuzzi.






Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *