Governo estende Operação RS Verão Total até 15 de março com 40% do efetivo de reforço

Com a curva de contaminações e internações pela Covid-19 no pior pico desde o início da pandemia, e a necessidade de endurecer a fiscalização das medidas preventivas, o governo do Estado vai autorizar a extensão da Operação RS Verão Total, prevista para encerrar na segunda-feira (1°/3), por mais 15 dias, com 40% do efetivo de reforço.

A decisão foi anunciada pelo vice-governador e secretário da Segurança Pública, Ranolfo Vieira Júnior, que coordena a Operação, em reunião por videoconferência com prefeitos da Associação dos Municípios do Litoral Norte (Amlinorte), na sexta-feira (26).

Conforme o vice-governador, a ampliação por mais 15 dias se dá pela necessidade de manter parte do reforço de efetivo nas áreas litorâneas, que têm se mostrado os locais em que há maior risco de aglomerações, principalmente o Litoral Norte.

Restrições

A partir deste sábado (27) até pelo menos 7 de março, passam a vigorar em todo o Estado os protocolos da bandeira preta, que indica o nível máximo no risco de contaminação, com imposição de restrições mais rígidas. Estará proibido, por exemplo, a permanência nas faixas de areia, a abertura de quiosques e o uso de guarda-sóis. O banho de mar não é recomendado, pois demanda que os guarda-vidas abandonem as ações de prevenção para monitorar banhistas na água.

“A manutenção do efetivo extra no litoral se dá exclusivamente pela urgência que temos de fiscalizar com todo o rigor possível o cumprimento das medidas de prevenção. Não é uma ampliação para o veraneio, muito pelo contrário. É o pior momento da pandemia e estamos em alerta máximo. A Operação Te Cuida RS já estabeleceu as diretrizes para atuação integrada com os órgãos municipais e faremos tudo que estiver ao nosso alcance. Apelamos mais uma vez pela adesão dos prefeitos no rigor da fiscalização e que a população colabore. Evitem as praias e não permaneçam na faixa de areia. As forças de segurança vão buscar essa conscientização, mas não vão hesitar em conduzir para autuação aqueles que resistirem”, afirmou Ranolfo.

Brigada Militar, Polícia Civil, Instituto-Geral de Perícias (IGP) e Corpo de Bombeiros Militar (CBMRS) deverão manter, a partir do dia 1° de março, 40% do efetivo que atualmente reforça as atividades de policiamento e prevenção nos litorais Norte e Sul, além do efetivo regular das regiões. A prioridade total é fiscalizar o cumprimento dos protocolos de bandeira preta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *