Homem morre após confronto com Brigada Militar na Vila Cruzeiro

Um homem foi morto na noite de segunda-feira (04) após um confronto com a Brigada Militar, na Vila Cruzeiro, Zona Sul de Porto Alegre. Silvio Machado tinha 21 anos e, segundo a polícia, confrontou a ação da polícia.

Por volta das 21h, a Brigada Militar realizava uma patrulha na região da Vila Cruzeiro, nos fundos do Posto de Pronto Atendimento. Ao passar por um conhecido ponto de tráfico de drogas dois homens começaram a disparar contra a viatura, segundo relatos da Brigada Militar.

Os policiais revidaram e atingiram Silvio Machado. O indivíduo recebeu socorro mas não sobreviveu. Silvio tinha antecedentes por homicídio, tráfico de drogas, porte ilegal de arma de fogo e resistência a prisão. Foram apreendidos com ele dinheiro, drogas e uma arma. Um outro homem que estava no local se entregou e foi preso pelos policiais.

“Na verdade um indivíduo que estava portando arma de fogo efetuou o disparo contra a guarnição, esse indivíduo só parou de efetuar disparos porque a guarnição conseguiu alvejar ele. Ato contínuo foi possível aproximação e ali constatou-se que que o indivíduo portava um revólver calibre 38, e o indivíduo do lado dele se entregou, deitou ao solo, e ele portava drogas. Na verdade se tratava de um segurança da boca e do vendedor”, explicou o capitão da Brigada Militar, Aruã Belaver.

Logo após a morte do indivíduo na Vila Cruzeiro, moradores da região protestaram contra a ação da Brigada Militar. Parte deles, incendiou pneus e interditou um trecho da avenida Moab Caldas, impedindo a passagem dos veículos. Os moradores alegam que a polícia usou da força excessiva para matar o indivíduo.

A Brigada Militar nega uma atuação irregular. Mesmo assim, a corporação abrirá um inquérito policial militar para investigar as condutas dos envolvidos na ação que resultou na morte de Silvio Machado. “Não sendo adequada, haverá indiciamento, sendo adequada não haverá indiciamento. Isso é a prática, a rotina da Polícia Judiciária Militar”, destacou Belaver.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *