A Receita Estadual fará blitze de IPVA nesta quarta no Rio Grande do Sul

Ocorrem nesta quarta-feira (13) as operações da Receita Estadual para combater a inadimplência do IPVA 2018. Porto Alegre e outras 12 cidades do interior do Estado terão blitze com barreiras simultâneas com a finalidade de recuperar 285 milhões de reais que deixaram de ingressar nos cofres públicos até o momento. De uma frota de 3.554.770 veículos que deveriam pagar o imposto neste ano, 573.156 seguem circulando com o IPVA atrasado.

Em alguns municípios as operações devem começar já na parte da manhã em vias de grande circulação. A inadimplência do IPVA 2018 está em 10,94%. De uma previsão de arrecadação de 2,60 bilhões de reais, ingressaram nos cofres públicos até o momento pouco mais de 2,31 bilhões de reais. Do total arrecadado com o IPVA, metade é repassado automaticamente para as prefeituras conforme o município de emplacamento do veículo.

Em Porto Alegre, mais de 88 mil automóveis estão com o tributo atrasado, o que representa mais de 54 milhões de reais não recolhidos (inadimplência financeira de 12,04%). As cidades com os maiores índices de inadimplência são, pela ordem, Chuí (22,79%), Quaraí (21,40%), Santa Vitória do Palmar (20,34%), Capão da Canoa (19,68%) e Rio Grande (19,06%). Já os municípios com menores índices são Alto Feliz (2,49%), São José do Inhacorá (2,59%), Montauri (2,67%), Três Arroios (2,87%) e Imigrante (2,91%).

O contribuinte que não pagou o tributo em dia, além de perder os descontos de Bom Motorista (de até 15%) e Bom Cidadão (de até 5%), terá multa de 0,33% ao dia sobre o valor do imposto não pago, até o limite de 20%. Depois de 60 dias em atraso, o débito sofrerá acréscimo de mais 5% e será inscrito em dívida ativa, com o contribuinte correndo o risco de ter seu nome lançado no Serasa, sofrer protesto no cartório da sua cidade e processo de cobrança judicial.

Além dessas consequências, o proprietário que for flagrado nas barreiras com o IPVA atrasado terá custos que podem ir além de colocar em dia o imposto. Como o IPVA é um dos requisitos para renovar o Certificado de Registro e de Licenciamento de Veículo (CRLV), transitar sem este documento em ordem significa infração gravíssima (art. 230, V, do Código de Trânsito Brasileiro), com risco de multa de 293,47 reais e sete pontos no prontuário da Carteira Nacional de Habilitação (CNH), além dos custos do serviço de guincho e depósito do Detran.