As operações de segurança no litoral gaúcho reduziram o índice de latrocínio em 80%

O balanço das operações de verão da Segurança Pública aponta para a redução da criminalidade no Litoral do Rio Grande do Sul. O levantamento, referente à primeira fase dos trabalhos, encerrada em 31 de janeiro, foi apresentado ao secretário da Segurança Pública, Cezar Schirmer, nessa quinta-feira, em Capão da Canoa, no Litoral Norte.

Dos 17 indicadores criminais do Litoral Sul e Norte, 12 apresentaram redução em comparação ao ano passado. Os dados mostram que o índice de latrocínio apresentou redução de 80%; homicídio doloso, 1,6%; e abigeato, 44,8%. Furto e roubo a comércio também tiveram expressiva queda, com 19,3% e 25,7%, respectivamente. Os indicadores compreendem dezembro de 2016 e janeiro de 2017 e dezembro de 2017 e janeiro de 2018.

O indicador de roubo de veículos teve redução de 31,2%, com 125 casos no verão de 2017 e 86 neste ano. Os crimes envolvendo posse de entorpecentes apontaram crescimento de 33%; já as taxas de tráfico de drogas tiveram redução de 58,3%.

O secretário Cezar Schirmer salientou o avanço em relação a 2017, destacando a atuação integrada das instituições. “Fico feliz em constatar que a redução nos indicadores está ligada ao trabalho em conjunto das nossas vinculadas. É o resultado do esforço daqueles que estão na ponta, garantindo a manutenção da ordem e da Segurança Pública, e da parceria estabelecida entre os gestores”, frisou.

Cada órgão apresentou as ações desenvolvidas e o planejamento para o resto da temporada, com ênfase no Carnaval, que começa neste final de semana. “Foi um momento de grande importância, para sabermos o que vem sendo bem sucedido e os pontos que ainda necessitam alguma atenção. O que foi exposto pelas corporações nos deixa confiantes de que atingiremos as metas estipuladas, superando-as em muitos quesitos”, disse o secretário adjunto da SSP, coronel Everton Oltramari.

Desde o início das operações de verão, foram executadas 162 ações pela Polícia Civil e 256 prisões. A Brigada Militar realizou 817 barreiras, resultando na fiscalização de mais de 47 mil veículos e 19 mil autuações. Além disso, 62.245 pessoas foram abordadas e 395 foram presas.

O Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Sul não registrou mortes por afogamento até o dia 31 de janeiro. Foram feitos 350 salvamentos, o que representa 66% menos do que no ano anterior. Já as ações de prevenção aumentaram em 84%.

O Instituto-Geral de Perícias destacou o aumento de 4% nos atendimentos nos postos de identificação, sendo Cassino o balneário com maior registro, com 1.813 casos.

Já a Superintendência dos Serviços Penitenciários reforçou seu efetivo, visando a atender a demanda crescente em virtude do veraneio. A Penitenciária Modulada Estadual de Osório teve ampliação de 5,4% no efetivo carcerário. O percentual foi ainda maior para o Presídio Estadual Feminino de Torres, com 27,3%.