Expodireto rende mais de 15 milhões de reais em vendas e expectativa de negócios para as micro e pequenas empresas

A 19ª Edição da Expodireto terminou na sexta-feira, dia 9 de março, com números extremamente animadores para as micro e pequenas empresas. No estande coletivo do Sebrae RS, que este ano contou com 34 expositores de todas as regiões do Estado, foram gerados mais de R$ 15 milhões em negócios, R$ 1,8 milhão durante a feira, e R$ 13,5 milhões como expectativa para os próximos 12 meses.

Em comparação com 2017, os números mostram um aumento de quase 50% nos valores somados entre a feira e os 12 meses seguintes. De acordo com o coordenador estadual dos Projetos Metalmecânico e Energia do Sebrae RS, Fabiano Dallacorte, no ano passado, o total ficou por volta de R$ 10,18 milhões, enquanto que, em 2018, a previsão é alcançarmos cerca de R$ 15,32 milhões em negócios fechados e iniciados durante a Expodireto. “Precisamos levar em consideração que, nessa edição, houve um aumento na participação de empresas que ofertam projetos customizados na feira e essas vendas são concretizadas em maior volume após o evento”, comenta o gestor.

Outra questão importante, destacada por Dallacorte, foi o sucesso na abordagem dos empreendedores no estande. Nos cinco dias de feira, foram realizados 7.247 contatos com clientes potenciais. Deste número, 14% iniciaram negócios e 584 foram finalizados. Isso significa que 59% dos negócios iniciados foram concretizados ainda na feira e 8% do total de contatos realizados adquiriram os produtos dos expositores durante a Expodireto. “Esses resultados demonstram a efetividade do Sebrae RS no apoio às empresas, principalmente com potencialização em vender melhor. Nos orgulha muito ver os empreendedores com atitudes proativas durante o evento e utilizando técnicas para abordar os compradores”, comemora.

Para a Agro Woks, empresa de Máquinas e Equipamentos Agrícolas, de Santa Rosa, a participação na Expodireto não poderia ter sido melhor. Foi a terceira vez que o empreendimento esteve na feira, expondo com o Sebrae RS e, desta vez, a recepção do público foi excepcional. “Pudemos mostrar as novidades e os principais produtos, fechar negócios e ainda contar com o apoio do Sebrae RS na feira”, relata o diretor comercial Jonas Rafael Reiter. A empresa já é parceira da entidade há cinco anos e participa de diversos projetos relacionados ao agronegócio.

Dallacorte lembra que, a partir de agora, os empresários têm muito a fazer. “Os números mostram que a partir da segunda metade de março é preciso organizar as metas, as linhas de produção, o financeiro e tudo mais para poder entregar e finalizar os negócios alinhados no evento”, finaliza o gestor do Sebrae RS.