Força-tarefa prende donos de mercado e apreende uma tonelada de alimentos impróprios para o consumo no litoral gaúcho

Seis estabelecimentos comerciais foram fiscalizados durante mais uma operação da Força-Tarefa do Programa Segurança Alimentar nos municípios de Capão da Canoa e Xangri-lá, no Litoral Norte gaúcho, na quinta-feira (08). Na ação, dois locais foram totalmente interditados e um sofreu interdição parcial. Cerca de uma tonelada de alimentos impróprios para o consumo foram apreendidas e inutilizadas.

Os estabelecimentos vistoriados em Capão da Canoa foram o Mercado Capão Novo, o Super da Praia, que sofreu interdição parcial, e o Mercado Lessa, totalmente interditado. O proprietário deste último e a filha dele foram presos em flagrante pela prática de crime contra as relações de consumo.

Em Xangri-lá, foram inspecionadas a Paulinho Peixaria, onde não havia nenhuma irregularidade, a Angus da Gruta Casa de Carnes e a JP Boutique de Carne, que acabou interditada. Nos estabelecimentos, foram encontrados alimentos fora da temperatura adequada, sem procedência, embalagens estragadas e com validade vencida – em alguns casos, há três anos.

Frutas com insetos, diversos problemas de infraestrutura e falta de higiene também foram observados durante as vistorias. Participaram da operação o coordenador do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado – Segurança Alimentar, Alcindo Luz Bastos da Silva Filho; o promotor de Justiça de Canoas Felipe Teixeira Neto; a promotora de Justiça de Santo Antônio da Patrulha Graziela da Rocha Vaughan Veleda; representantes da Delegacia do Consumidor da Polícia Civil, da Brigada Militar, das Vigilâncias Sanitárias Municipais e Estadual, da Secretaria Estadual de Agricultura e do Procon.