O Multipalco do Theatro São Pedro levará o nome de Eva Sopher

O governo do Estado, a Associação Amigos do Theatro São Pedro e familiares de Eva Sopher vão encaminhar proposta para denominar o Multipalco do Theatro São Pedro com a inclusão do nome da presidente da instituição. A homenagem é unanimidade no meio cultural e será consolidada em momento oportuno, após os atos fúnebres. 

Eva Sopher, que faleceu aos 94 anos, foi velada nas dependências do teatro até as 18h dessa quinta-feira. Ela estava internada no Hospital Moinhos de Vento e faleceu em decorrência da falência múltipla dos órgãos e parada cardiorrespiratória.

O governador José Ivo Sartori decretou luto oficial de três dias. A iniciativa de designar para o Multipalco o nome de Eva Sopher foi comunicada na manhã dessa quinta-feira pelo governador, em função do reconhecimento da população à memória de Eva Sopher e ao legado de mais de 40 anos na reconstrução e na preservação do São Pedro.

A nominação do Multipalco ressoou positivamente entre familiares e meio cultural. Conforme o presidente da Associação, José Roberto Diniz de Moraes, a decisão vem ao encontro dos anseios de toda a comunidade cultural. “Não há outro nome que não seja o dela, que reconstruiu o Theatro São Pedro. O próprio conselho já acalentava essa ideia e agora é motivo de satisfação ver a proposição do governo”, afirmou.

Nascida em 1923, em Frankfurt, na Alemanha, Eva Margareth Plaut fugiu do regime nazista com sua família para o Brasil. Na época, com apenas 13 anos, teve que aprender outro idioma, cultura e, o mais importante, o respeito às diferenças, compreendendo o significado das palavras sobrevivência e liberdade. Morou em São Paulo e no Rio de Janeiro, onde se casou com Wolfgang Sopher e teve suas filhas.

Em 1960, mudou-se para Porto Alegre, onde deu início a um marco relevante na trajetória cultural do Rio Grande do Sul. Após se tornar conhecida pelo trabalho como produtora cultural na Pró Arte, foi convidada a assumir, em 1975, o desafio de coordenar as obras de reconstrução do Theatro São Pedro, interditado devido ao mau estado de conservação e às precárias condições de segurança. Em 1982, quando foi criada a Fundação Theatro São Pedro, Dona Eva passou a responder por sua presidência.