Policiais militares foram presos por suposta ligação com integrantes de uma facção criminosa no Rio Grande do Sul

A Corregedoria-Geral da BM (Brigada Militar) e o MP (Ministério Público) deflagraram, na manhã desta segunda-feira (11), a Operação Cherrin para investigar a suposta ligação de policiais militares com integrantes da facção criminosa Bala na Cara, uma das mais violentas do Estado. A ação apura os crimes de tráfico de drogas e armas, corrupção, peculato e lavagem de dinheiro.

Dezessete pessoas foram presas, sendo dez policiais militares. Foram cumpridos mandados judiciais em Porto Alegre, Gravataí, Canoas, Santa Maria, Nova Petrópolis, Cachoeira do Sul e Guaíba. Durante a ação, foram apreendidas armas, munições, drogas e dinheiro. Os Bala na Cara atuam principalmente no bairro Bom Jesus, na Capital.

Por envolver civis e policiais militares, as medidas judiciais foram postuladas e deferidas tanto pela Justiça Militar quanto pela Justiça comum. A partir de agora, os materiais apreendidos serão analisados, e os presos interrogados. A investigação continua sob sigilo para evitar prejuízo à completa elucidação dos fatos e identificação de todos os envolvidos, de acordo com o MP.