Temporais causaram estragos e deixaram duas mortes no Rio Grande do Sul

Os temporais que atingiram  o Rio Grande do Sul no começo da semana causaram duas vítimas fatais. As mortes ocorreram no interior de Sarandi, no Norte do Estado, e em Ciríaco, na região do Planalto – locais onde a chuva foi acompanhada por fortes rajadas de vento. Também deixaram 112 mil pessoas sem energia elétrica. De acordo com as concessionárias RGE e RGE Sul, os municípios mais afetados pela falta de luz são Sarandi, Passo Fundo, Santo Ângelo e Palmeiras das Missões.

A chuva, os ventos e o granizo causaram alagamentos, destelharam casas, derrubaram árvores e postes em diversos municípios. As regiões mais afetadas são a Norte, Noroeste, Missões, Serra Gaúcha, Vale do Sinos e Vale do Paranhana. Em Tupanciretã, mais de 200 casas foram destelhadas.

Auxílio imediato do Estado

Ao reunir secretários, no início da tarde dessa terça-feira, para avaliar os efeitos dos temporais que atingiram o Rio Grande do Sul e reforçar ações em atendimento às comunidades, o governador José Ivo Sartori enfatizou que o momento é de solidariedade. Afirmou também que,  mais do que nunca, há necessidade de fortalecer as doações para a Campanha do Agasalho e a vacinação.

“É uma situação de emergência, e a Defesa Civil se organizou ainda na segunda-feira para atender imediatamente a todos os municípios, com fornecimento de lonas e cestas básicas. Mesmo com os alertas antes dos eventos, segue o monitoramento em decorrência de queda nas temperaturas nos próximos dias”, disse Sartori. O governador também prestou solidariedade aos atingidos e aos familiares das vítimas fatais.

O socorro aos municípios atingidos ocorreu de forma articulada e integrada entre todas as secretarias estaduais, com esforços para reduzir os prejuízos e situações mais graves. Segundo o coronel Alexandre Martins, coordenador da Defesa Civil Estadual, foram emitidos alertas a praticamente todo o Rio Grande do Sul. As ocorrências, diversas com granizo e vendavais culminaram com residências destruídas e a variação brusca de temperatura.

“Nessa primeira fase, a prioridade é a vida das pessoas. Já tínhamos mobilizado o atendimento humanitário, com lonas nas regiões mais atingidas e o remanejamento de outras regiões,  sempre com agilidade. Estamos com estoques baixos de alimentos e roupas. Por isso, nosso apelo à população para doações à Campanha do Agasalho”, frisou o coronel Martins.

Previsão do tempo para a Capital

Nesta quarta-feira, o ar seco e frio de origem polar garante o tempo firme, com presença de sol e nuvens. O vento sopra fraco a ocasionalmente moderado do quadrante Oeste. Faz frio durante todo o dia. Mínimas entre 7°C e 9°C e máximas entre 12ºC e 14°C, segundo o Sistema Metroclima.

Na quinta-feira, o sol predomina ao longo do dia com amplos períodos de céu claro. O vento fica calmo ou sopra fraco do quadrante Oeste/Sul. A temperatura cai mais acentuadamente na madrugada e ao amanhecer, intensificando o frio. Mínimas entre 4°C e 6°C, e máximas entre 13°C e 15°C.

Na sexta-feira, o sol predomina ao longo do dia. O vento continua calmo ou sopra fraco do quadrante Oeste/Sul. A temperatura cai ainda mais, e a madrugada e o amanhecer serão gelados, inclusive com chance de formação de geada em alguns bairros. Mesmo à tarde, a sensação será de frio. Mínimas entre 3°C e 5°C e máximas entre 12°C e 14°C.

Inverno

O inverno, a estação mais fria do ano, com dias mais curtos e noites mais longas, começará às 07h07min do dia 21 de junho e terminará em 22 de setembro, com a entrada da primavera.