Um aluno de uma escola gaúcha conquistou uma medalha de ouro na Olimpíada Brasileira de Matemática

O estudante Lucas Jung Eberhardt, de 19 anos, conquistou uma medalha de ouro na Obmep (Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas). Aluno do curso de Química da Fundação Escola Técnica Liberato Salzano Vieira da Cunha, de Novo Hamburgo, ele recebeu a premiação no Rio de Janeiro em cerimônia promovida em 2 de agosto pelo Impa (Instituto Nacional de Matemática Pública e Aplicada).

Destinada a estudantes do 6º ano do Ensino Fundamental ao 3º ano do Ensino Médio, a Obmep é promovida com recursos do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações e do Ministério da Educação, com apoio da Sociedade Brasileira de Matemática.

Lucas já foi medalhista em outras competições como a Olimpíada de Matemática da Grande Porto Alegre, Olimpíada Gaúcha de Física, Olimpíada Brasileira de Física das Escolas Públicas, Concurso de Matemática Canguru Sem Fronteiras, Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica e na própria Obmep.

Olimpíada internacional

Recentemente, estudantes brasileiros trouxeram para o Brasil uma medalha de ouro e quatro de bronze, conquistadas na Olimpíada Internacional de Matemática (IMO, do nome em inglês), realizada em ClujNapoca, Romênia.

A medalha de ouro foi obtida por Pedro Lucas Lanaro Sponchiado, de 17 anos, de São Paulo, classificado na 12ª posição geral no certame, que contou com a participação de 594 mil estudantes e mais de 107 equipes de todo o mundo. Os seis representantes do Brasil foram escolhidos depois de quatro provas seletivas realizadas entre os premiados da fase nacional da 39ª Olimpíada Brasileira de Matemática.

As medalhas de bronze foram conquistadas pelos estudantes Bruno Brasil Meinhart, de 17 anos, e Pedro Gomes Cabral, de 15 anos, ambos de Fortaleza (CE); e Bernardo Peruzzo Trevizan, de 16 anos, e André Yuji Hisatsuga, de 18 anos, de São Paulo (SP). Lucas Hiroshi Hanke Harada, de 17 anos, também de São Paulo, ficou com a menção honrosa.

A equipe foi liderada pelos professores Régis Prado Barbosa (São Paulo) e Armando Barbosa Filho (Fortaleza) e ficou na 28ª posição no quadro geral da competição. O resultado superou o do ano anterior, quando o Brasil alcançou a 37ª colocação, com duas medalhas de prata, uma de bronze e duas menções honrosas. Em 2017, a IMO foi disputada no Rio de Janeiro.

“A conquista vem coroar um trabalho que está sendo realizado há vários anos de preparação dos representantes brasileiros na olimpíada internacional”, avalia Claudio Landim, diretor adjunto do Instituto de Matemática Pura e Aplicada, entidade que coordena as olimpíadas nacionais de matemática.

A IMO é a mais antiga e prestigiada olimpíada científica para estudantes do ensino médio. Foi criada em 1959 e conta com a participação do Brasil desde 1979.

A primeira medalha de ouro obtida pelo Brasil na disputa foi nos anos de 1980. Ao longo dos últimos 39 anos, as equipes brasileiras conquistaram 130 medalhas, sendo 10 de ouro, 43 de prata e 77 de bronze, além de 32 menções honrosas.