Laudo toxicológico já foi entregue por 5.668 taxistas de Porto Alegre

Até esta terça-feira (15), foram entregues 5.668 laudos toxicológicos pelos taxistas à EPTC (Empresa Pública de Transporte e Circulação), de um total de 7.583 condutores cadastrados para uma frota de 3.884 prefixos registrados. O prazo para recebimento da documentação pela EPTC, iniciado em outubro do ano passado, encerrou-se em 21 de dezembro. Desde então, a prestação do serviço somente é possível com apresentação do laudo do exame na Coordenação de Cadastro de Operadores da EPTC, na av. Érico Veríssimo nº 100, de segunda à sexta-feira, das 9h às 16h.

O diretor de operações da EPTC, Fabio Berwanger Juliano, acredita que o número de laudos entregues deve representar, na prática, 90% de condutores que efetivamente irão prestar serviço na Capital, projetando uma número final de cerca de 6,2 mil habilitados a partir das exigências de qualificação do serviço: “Por todo este esforço da prefeitura, por meio da EPTC, de qualificação do sistema, junto com a categoria dos taxistas, este número de 5.668 laudos entregues até o momento seja praticamente o definitivo. É o resultado deste trabalho conjunto, do poder público com os taxistas, de selecionar os bons profissionais, com a garantia de uma maior segurança e qualidade no atendimento à população”.

Não entregar o laudo resulta em multa administrativa de R$ 200,73, com recolhimento do veículo. A obrigatoriedade do laudo toxicológico foi estabelecida para qualificar o sistema de táxis da Capital, com bem mais segurança aos usuários e valorização da categoria dos taxistas. Quem não entregou o documento, prossegue descadastrado, precisando, obrigatoriamente, regularizar a situação para voltar a trabalhar. Recentemente, em blitze realizadas nas áreas da Estação Rodoviária e do Shopping Bourbon Wallig, da Assis Brasil, todos os condutores estavam em dia com os seus exames toxicológicos.

Sinalização

Além da placa de Pare e da faixa da segurança já existentes no cruzamento da Joaquim Nabuco com José do Patrocínio, no bairro Cidade Baixa, o local ganhou uma placa de advertência de trânsito, além de sinalização horizontal com alerta de Pare. As medidas, tomadas recentemente pela Empesa Pública de Transporte e Circulação, buscam conter os acidentes causados pela imprudência de condutores naquele ponto, que resultaram até em um acidente fatal no final do ano passado, causado pelo desrespeito à via preferencial.

Comerciantes e moradores da região aprovaram as mais recentes medidas de engenharia de tráfego realizada pela EPTC no local. “Moro e trabalho há 35 anos junto ao cruzamento. Meus familiares, e eu mesmo, quase já fomos atropelados sobre a calçada. Os motoristas precisam ter mais atenção. Casos de imprudência são constantes aqui neste cruzamento”, afirma David José de Vargas, há 35 anos proprietário do Brikão, tradicional casa de comércio localizada na av. José do Patrocínio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *