Médica sequestrada em Erechim é resgatada no Paraná após seis dias

A médica Tamires da Silva Mignoni foi resgatada pela Polícia Civil na noite desta última quarta-feira (23). Ela havia sido sequestrada em Erechim, aqui no Rio Grande do Sul, na sexta-feira passada (16). Tamires ficou 128 horas nas mãos dos criminosos e foi libertada em um cativeiro na cidade da Cantagalo, interior do Paraná.

Os sequestradores fizeram o primeiro contato com a família de Tamires ainda na sexta-feira passada (16), horas após capturarem-na. Sempre ligando para o pai de Tamires, que é prefeito da cidade de Laranjeiras do Sul no Paraná, a pedida dos criminosos era de R$ 2 milhões para a libertação. Em nenhum momento foi aceito uma redução do valor.

Durante a negociação, Tamires e os criminosos passaram por três locais: uma casa em Itá, Santa Catarina, depois Chapecó, e o cativeiro final, em Cantagalo no Paraná, onde a médica foi resgatada. A polícia acredita que quatro pessoas participaram do crime, três delas estão presas.

“Um deles era um vigilante de um banco de Laranjeiras e estava em licença saúde que é o principal alvo, uma mulher que é dona de casa, que era quem cuidava desse cativeiro, possivelmente esse casal foram as pessoas que arrebataram a Tamires em Erechim. E mais um terceiro preso que é um taxista que ajudou nos deslocamentos”, explicou a chefe de polícia do Rio Grande do Sul, Nadine Anflor.

Todos os envolvidos no crime são da cidade de Laranjeiras do Sul, mas a polícia acredita que o sequestro não está ligado ao fato do pai de Tamires ser prefeito do município. O interesse seria apenas em conseguir o dinheiro pelo resgate, sem envolvimento político. A polícia dará mais detalhes do resgate quando os agentes que participaram da ação retornarem do Paraná.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *