Ministro Interino da Saúde visita Rio Grande do Sul e anuncia envio de respiradores

O Ministro Interino da Saúde, Eduardo Pazuello, visitou nesta terça-feira (21) o Rio Grande do Sul e cumpriu agenda com o governador Eduardo Leite e o prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan Júnior. Foram discutidas novas ações conjuntas no combate à Covid-19.

Durante a reunião, que contou também com a presença da equipe da Secretaria da Saúde do Rio Grande do Sul, Eduardo Pazuello anunciou que o Ministério irá enviar mais 100 respiradores para o estado gaúcho. Além disso, para auxiliar na ampliação da testagem da Covid-19, o ministro confirmou o envio de um extrator, que será utilizado para a realização automatizada de exames no laboratório central.

“Já vai contabilizar mais de 630 respiradores encaminhados pelo Ministério da Saúde, seja os de beira-leito ou de transporte. É um apoio importante para o Governado do Estado e para a população gaúcha. Nós vamos mais do que quadruplicar o nosso volume de testes aplicados no estado do Rio Grande do Sul”, revelou o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite.

Outro assunto tratado foi em relação à pesquisa que estava sendo realizada pela Universidade Federal de Pelotas que pretendia abranger o Brasil inteiro. A UFPEL anunciou que o Ministério da Saúde não irá mais financiar o estudo, que analisava a presença de anticorpos do novo coronavírus na população.

“A pesquisa ficou regionalizada e tivemos dificuldades de transferir o raciocínio para fazer uma triangulação das ideias para efeito de Brasil como um todo. O Brasil é muito heterogêneo e a gente precisaria de pesquisas individuais em cada região do país”, esclareceu o Ministro Interino da Saúde.

O ministro falou também sobre a questão de medicamentos para a Covid-19 e voltou a salientar a importância do diagnóstico e tratamento precoce.

“Ficou com sintomas, procure imediatamente o atendimento básico nos postos de triagem, UPAs e UBS nos seus município. A UTI e o respirador é o último caso, nós precisamos tratá-los no início, de forma precoce. Essa é a orientação do Ministério da saúde”, finalizou Pazuello.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *