MP-RS denuncia seis pessoas envolvidas na morte de João Alberto

O Ministério Público do Rio Grande do Sul denunciou, nesta quinta-feira (17), seis pessoas envolvidas na morte de João Alberto Silveira Freitas, espancado e asfixiado por dois seguranças do Carrefour, em Porto Alegre, há um mês.

Os denunciados são os seguranças Magno Braz Borges e Giovane Gaspar da Silva, a funcionária Adriana Alves Dutra, que assistiu à agressão, e outros três empregados da Rede de Hipermercados: Paulo Francisco da Silva, Kleiton Silva Santos e Rafael Rezende.

O promotor de justiça que assina o caso, André Gonçalves Martínez, atribui aos denunciados o crime de homicídio triplamente qualificado com dolo eventual, que é quando o motivo do crime fere a decência, tem meio cruel e o recurso dificulta a defesa da vítima.

Para o promotor, todos os envolvidos assumiram o risco de provocar a morte da vítima. Além disso, Martínez declara que o padrão de abuso com que os denunciados agiram demonstra uma leitura preconceituosa em relação à situação socioeconômica e origem racial de João Alberto. O Ministério Público emitiu parecer favorável à prisão preventiva de Kleiton, Rafael e Paulo, e à conversão de prisão temporária para preventiva de Adriana Alves Dutra. Os outros dois seguranças já estavam presos preventivamente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *