Novo decreto amplia restrições ao comércio em Porto Alegre

As novas restrições impostas pela prefeitura da capital gaúcha repercutiram nas instituições que representam os setores do comércio e alimentação. As entidades elogiam parte das medidas, mas demonstram preocupação com a falta de perspectiva para os lojistas.

O novo decreto que entra em vigor nesta terça-feira (07), restringe ainda mais a abertura do comércio. Serviços antes considerados essenciais, agora também estarão fechados. A falta de definição para o futuro, preocupa a Câmara de Dirigentes Lojistas de Porto Alegre.

“Agora, com essa ampliação a tendência que vá acima de 20% das lojas daqui de Porto Alegre não retornem com as atividades. E é nesse sentido que nós precisamos retomar a atividade com responsabilidade e evitar que o pior aconteça”, explicou o presidente do CDL de Porto Alegre, Írio Piva.

Considerados serviço essencial, os supermercados também terão que se adaptar a partir desta terça (07). O decreto prevê lotação máxima dos estabelecimentos em 50% da capacidade. Além da recomendação para que apenas uma pessoa por família acesse o interior das lojas.

“Os supermercados gaúchos, a atividade essencial vem aqui manifestar o seu total apoio ao decreto municipal de Porto Alegre, onde limita apenas a entrada de um membro por família para as suas compras e precisamos também do apoio da população para que faça cumprir essas normas. Não faltarão produtos, então não é motivo e necessidade de fazer qualquer correria”, esclareceu o presidente da Agas, Antônio Cesa Longo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *