Novo pacote contra a corrupção prevê maior rigor em contratações de Porto Alegre

Durante a semana passada, a Câmara de Vereadores da capital aprovou, por unanimidade, um projeto que prevê maior rigor em contratações da prefeitura de Porto Alegre, o chamado pacote contra a corrupção.

Serviços do dia a dia e grandes obras realizadas em Porto Alegre vão passar a ter mais fiscalização a partir da sanção do pacote contra a corrupção, que tem a autoria do vereador Ramiro Rosário.

“Minha equipe e eu identificamos uma série de processos, tanto de contratação de serviços do cotidiano da cidade, como também processos de pagamento que tinham falhas ou pontos escuros, nebulosos, que não tinham clareza de procedimentos e prazos por exemplo”, disse o vereador de Porto Alegre, Ramiro Rosário.

Para o projeto virar lei, deverá ser sancionado pelo prefeito de Porto Alegre, Sebastião Melo. As conversas com o novo governo já estão acontecendo. “O prefeito vê com bons olhos, o governo eleito vê como bons olhos, inclusive a própria base do futuro governo se manifestou favoravelmente ao projeto”, comentou Rosário.

Com o auxilio da tecnologia, procedimentos ligados à obras da prefeitura passarão por um processo de modernização na forma de fiscalização e na gestão de contratos. Utilização de GPS, fotos do antes e depois e também uma remuneração por produtividade estão entre as novidades.

“A capina de praças antes que é o corte de grama, nós tínhamos a remuneração por equipe, e se a gente passasse em frente a uma praça e a equipe não estivesse fazendo o serviço, só matando tempo, nós estávamos pagando igual. Hoje, nós pagamos por metro quadrado de grama cortada na praça e por quilômetro linear nas ruas e avenidas de capina realizada”, destacou o vereador da capital gaúcha.

As medidas, segundo o vereador, darão maior segurança para que se tenha um controle do que está sendo realizado na cidade. E, se virar lei, os novos contratos terão que seguir o novo formato.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *