O Ministério do Turismo divulgou os destinos no Rio Grande do Sul que farão parte do projeto Rotas Estratégicas para o Mercado Internacional

O Ministério do Turismo divulgou os destinos no Rio Grande do Sul que farão parte do projeto Rotas Estratégicas para o Mercado Internacional. Serão 12 cidades gaúchas de cinco regiões distintas do Estado, divididas em duas categorias: Serra Gaúcha, com os municípios de Gramado, Canela, Nova Petrópolis, Bento Gonçalves, Caxias do Sul, São Francisco de Paula, Garibaldi, São José dos Ausentes, Jaquirana e Cambará do Sul; e Porto Alegre e Missões, com a capital e São Miguel das Missões.

Os selecionados serão beneficiados com o mapeamento de oportunidades de investimentos, orientações acerca do desenvolvimento de destinos turísticos inteligentes, estudos de mercado e posicionamento de imagem. De acordo com o ministério, as Rotas Estratégicas foram selecionadas por meio de critérios técnicos definidos em conjunto com Sebrae e Embratur.

As rotas são consideradas mais maduras e seus destinos já são comercializados por operadoras de turismo internacionais, possuindo maior fluxo turístico de lazer, entre outros requisitos. O projeto buscou contemplar cada Estado brasileiro com ao menos uma rota. O Rio Grande do Sul faz parte dos Estados contemplados com mais de uma rota por critérios mercadológicos.

Nação Pampa

Realizado pela Academia Rio-Grandense de Letras com o apoio do IEL (Instituto Estadual do Livro), instituição da Sedactel (Secretaria de Estado da Cultura, Esporte e Lazer), o projeto Sábados Literários abordará “A Nação Pampa: uma Proposta para a Efetiva Aproximação Cultural do Cone Sul”, no dia 27 de outubro, às 10h, na sede do IEL (André Puente, nº 318). Com o acadêmico José Édil de Lima Alves e Ricardo Pereira Duarte, vice-presidente da Asociación Cultural Yayetopá, o evento tem entrada gratuita.

Ricardo Duarte tem se dedicado a estudar a realidade humana no Cone Sul da América, particularmente na área do bioma Pampa, que abrange todo o território da República Oriental do Uruguai, grande parte da Argentina e parte do Rio Grande do Sul, no Brasil. De tais estudos resultou o conceito de “Nação Pampa”, onde há uma convivência harmoniosa, apesar de muitos governos, em diferentes épocas, terem buscado disseminar a discórdia, em nome de interesses, na maioria das vezes escusos. Em debate com o acadêmico José Édil de Lima Alves, o autor discorrerá sua busca para arregimentar forças que possam assumir a construção desse locus amoenus, onde os valores éticos e morais do habitante do pampa presidam as ações humanas.

Ricardo Pereira Duarte integrou o Conjunto de Artes Nativas Marupiaras, grupo vocal e instrumental para a arte regional gaúcha que incentivou a criação da Califórnia da Canção Nativa. É cofundador da Asociación de Escritores Sin Fronteras e membro da Academia Uruguaianense de Letras. É vice-presidente da Fundación Yayetopá, com sede em Paso de los Libres, entidade que busca valorizar a cultura regional. Escritor, trabalha romances, ensaios, pesquisa histórica, poesia, contos, história, zootecnia, ensaios e genealogias.

José Édil de Lima Alves é Doutor em Letras pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, crítico literário e cofundador da Asociación de Escritores Sin Fronteras. É membro da Academia Rio-Grandense de Letras (cadeira 3) e ocupa, atualmente, uma cadeira no Conselho Estadual de Cultura do Rio Grande do Sul.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *