Obras de revitalização do trecho 3 da Orla do Guaíba devem ficar prontas em um ano

Foi assinado nesta segunda-feira (14) o contrato e a ordem de início das obras de revitalização do trecho 3 da Orla do Guaíba, que vai da foz do Arroio Dilúvio até o Parque Gigante, em Porto Alegre. O documento foi assinado pelo prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan Júnior, no Salão Nobre do Paço Municipal. A previsão para a conclusão da obra é de 12 meses. “Nossa expectativa é cumprir os prazos e tirar a imagem de que obra pública não acaba”, disse o prefeito.

A empresa encarregada do serviço é a ACA/RGS, de Portugal. Ela ganhou a licitação com uma proposta financeira de R$ 46.171.731,77, 19,26% a menos que o valor inicial orçado, de R$ 57 milhões. O valor foi reduzido devido à concorrência estabelecida entre as empresas nacionais e internacionais. “Tivemos um processo licitatório honesto. Agradeço ao consórcio português por aceitar o desafio, pois existe o risco de críticas, mas também o reconhecimento pela execução de um trabalho bem feito”, relatou Marchezan. Além disso, ele comentou sobre o trecho 2 do local, já que o lançamento do edital deve sair em novembro. “Temos muita satisfação de poder avançar”, completa.

Segundo o secretário municipal de Infraestrutura e Mobilidade Urbana, Marcelo Gazen, o novo espaço vai contar com uma área de arborização, ciclovia e iluminação led 24 horas. A obra prevê também três bares, 27 quadras esportivas e estruturas de apoio para prática de esportes. Além disso, a novidade é a maior pista de skate da América Latina. “As secretarias municipais e demais órgãos envolvidos estão se preparando há um bom tempo para este momento, fazendo uma pré-mobilização para o início da obra. Logo teremos mais uma etapa da orla do Guaíba à disposição da sociedade”, destaca Gazen. Nos próximos dias, a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) vai divulgar o cronograma de alterações no trânsito, que seguirá o andamento das obras. A primeira intervenção vai ser na ciclovia.

A prefeitura vai realizar a obra com recursos provenientes do Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF), do Fundo Municipal de Iluminação Pública e do Departamento Municipal de Água e Esgotos (Dmae). O restante será pago pelo Tesouro Municipal. A secretária municipal de Planejamento e Gestão, Juliana Castro, destacou a importância da retomada da capacidade de investimento da Capital. “Porto Alegre não tinha mais capacidade de financiamento, mas com um conjunto de ações de gestão e mudanças estruturais a cidade conseguiu recuperar o crédito junto às instituições financeiras”, disse a secretária, lembrando que já estão garantidos R$ 726 milhões para 2020.

Projeto

Assim como o projeto do trecho 1, que terminou de ser revitalizado em junho de 2018, o trecho 3 também é de autoria do arquiteto Jaime Lerner. A área de intervenção é de 14,6 hectares ao longo da Orla e prevê aproximadamente 200 vagas de estacionamento no canteiro central da avenida Edvaldo Pereira Paiva, mais de 550 árvores dos tipos cedro, figueira, jerivá, cerejeira e coronilha, três estruturas de bares idênticas às já em funcionamento no trecho 1, quadras para prática esportiva, vestiários e a maior pista de skate da América Latina certificada pela Confederação Brasileira de Skate e pelo Comitê Olímpico Brasileiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *