Operação Pegadas: Ministério Público investiga fraudes em Viamão

O Ministério Público do Rio Grande do Sul deflagrou na manhã de terça-feira (15) uma operação que prendeu um vereador de Viamão, na região metropolitana de Porto Alegre. Trata-se da Operação Pegadas, que cumpriu 26 mandados de prisão, busca e apreensão e afastamento de funções no serviço público. A ação de ontem (15) é um desdobramento da Operação Capital, deflagrada no dia 12 de fevereiro que resultou no afastamento cautelar do prefeito eleito.

Foram a partir das investigações de fevereiro que o Ministério Público chegou ao resultado de terça (15), com a prisão preventiva de um vereador de Viamão. A decisão da 4ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul é baseada nos indícios de ilicitude e superfaturamento relacionados à contratação de serviços médicos, incluindo o período da pandemia da Covid-19. Também, com indícios de irregularidade na aquisição de tênis sem licitação nos anos de 2018 e 2019.

“Foram verificados através do material apreendido nessa operação e na investigação que decorreu, a persistência de algumas das irregularidades constatadas e a existência de novas irregularidades. Então, isso acabou desaguando na Operação Pegadas. Foram diversos mandados de busca e apreensão, demais cautelares, um mandado de prisão e foi uma operação que teve 100% de aproveitamento”, comentou a Promotora de Justiça, Ana Rita Schinestsck.

Além disso, o Ministério Público investiga a continuidade de fraudes e superfaturamento na contratação de serviços de limpeza urbana e manutenção de prédios públicos, utilizando empresa de fachada, em nome de um laranja do Legislativo local.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *