Pampa Debates: Nelson Marchezan Jr. fala sobre combate ao coronavírus em Porto Alegre

O programa Pampa Debates desta sexta-feira (05) recebeu o prefeito de Porto Alegre Nelson Marchezan Júnior. No debate, Marchezan falou sobre as ações inicias de combate à covid-19 na capital e sobre como acredita que o governo federal está lidando com a situação no país.

Dúvidas. Foi assim que Nelson Machezan iniciou o debate desta sexta. Para o prefeito, não há como encontrar a verdade neste momento, nem definir o que é certo ou errado. “É um vírus novo com poucas evidências científicas.” Ao revelar as ações inciais de seu governo em março, quando surgiu o primeiro caso, ele diz não ter arrependimentos. “Nossas ações iniciais em março levavam ao distanciamento físico. Pensamos que essa diminuição pela demanda por leitos de UTI se deu por conta disso.”

O foco, segundo o prefeito, está justamente no número de leitos, que não faltaram em Porto Alegre. “Faz 55 dias que não superamos 50 leitos de UTI”, revela. Marchezan também disse que seria “impossível”, no começo, ter deixado as pessoas circularem.

Ele também opiniou sobre a atuação do governo de Jair Bolsonaro frente à covid-19.“Talvez o governo federal tenha buscado polêmicas desnecessárias. Isso faz a sociedade desfocar do que é prioridade,” comentou Marchezan.

O programa Pampa Debates desta sexta-feira (05) recebeu o prefeito de Porto Alegre Nelson Marchezan. No debate, Marchezan falou sobre as ações inicias de combate à covid-19 na capital e como acredita que o governo federal está lidando com a situação no país.

Dúvidas. Foi assim que Nelson Machezan iniciou o debate desta sexta. Para o prefeito não há como encontrar a verdade neste momento ou o que é certo e o que é errado. “É um vírus novo com poucas evidências científicas.” Ao revelar as ações inciais de seu governo em março, quando surgiu o primeiro caso, ele diz não ter arrependimentos. “Nossas ações iniciais em março levava ao distanciamento físico. Pensamos que essa diminuição pela demanda por leitos de UTI se deu por conta disso.”

O foco, segundo o prefeito, está justamente no número de leitos e eles não faltaram em Porto Alegre. “Faz 55 dias que não superamos 50 leitos de UTI”, revela. Marchezan também disse ser impossível, no começo, ter deixado as pessoas circularem. “400 mil Porto alegrenses entram no ônibus. Quase 450 mil pessoas envolvidas nas atividades de ensino.” Sobre críticas, ele diz não julgar muito mas o Governo Federal tem buscado questões desnecessárias. “Talvez o Governo Federal tenha buscado polêmicas desnecessárias. Isso faz a sociedade desfocar do que é prioridade.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *