Plataforma mapeia casos de Covid-19 nos bairros de Porto Alegre

Desde a semana passada, Porto Alegre passou a contar com um mapa detalhado da situação do novo coronavírus. De fácil acesso, o morador da capital pode conferir a incidência da doença em cada bairro através da plataforma on-line.

Toda semana a Vigilância da Saúde da capital vai atualizar o mapa disponível no site da prefeitura. Na página dedicada às informações do novo coronavírus, uma das últimas lacunas é sobre a localização dos casos. O usuário é direcionado para o mapa onde pode pesquisar seu bairro e também a unidade de saúde que atende a região. A plataforma está no ar desde a última quarta-feira (16). São poucos locais que apresentam baixa incidência de casos para cada mil habitantes. Bairros como Arquipélago, Mário Quintana e Bom Jesus podem estar com subnotificação de confirmados com a doença. É o que alerta a Vigilância da Saúde.

“Então, quando a pessoa ela tem uma dor de cabeça, teve um episódio de febre e ela não busca o serviço de saúde ou ela não consegue por algum motivo fazer essa investigação, consultar, coletar o material do exame e identificar, a gente não sabe que esse caso existe. É um problema a gente não buscar está investigação e não fazer os cuidados adequados que é o principal”, explicou a gerente de vigilância epidemiológica de Porto Alegre, Juliana Maciel Pinto.

O bairro Pedra Redonda é o bairro de Porto Alegre com maior incidência de caso de Covid-19 para cada mil habitantes. A população bem baixa da região combinado com o surgimento de alguns surtos contribuiu para essa liderança. Em compensação, a Pedra Redonda não registra novos casos há um bom tempo, o último foi no dia 02 de agosto.

O Jardim Europa é o segundo bairro com mais incidência de casos. Atrás aparecem Agronomia, Anchieta e Navegantes. Além da proporção de confirmados com Covid-19 para cada mil habitantes, o mapa oferece também o histórico de casos da região. Quem tem internet disponível pode acessar a plataforma. A Vigilância em Saúde espera contribuir para reforçar os cuidados dos porto-alegrenses.

“A conscientização das pessoas do quão transmissível, o quão circulante esse vírus está no meu território. Quando eu tenho uma situação como essa que a gente pode identificar aqui, sim, o nosso alerta é mais que máximo. É de interesse de todos que a população também consiga visualizar e a partir disso, tomar as melhores decisões para cuidar de si, dos seus vizinhos e da sua família”, comentou Juliana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *