Polícia identifica e prende suspeitos de matarem motorista de aplicativo

A Polícia Civil prendeu nessa última quarta-feira (07) os suspeitos do assassinato de um motorista de aplicativo. O crime ocorreu na madrugada do dia 19 de março, no Bairro Cascata, em Porto Alegre. Imagens das câmeras de segurança registraram o momento do crime. Logo após a passageira descer do veículo e entrar no portão preto, dois criminosos se aproximam do carro que fazia corridas de aplicativo. O motorista parece avançar, na tentativa de manobrar o veículo. Um dos bandidos então dispara uma sequência de seis tiros em direção ao motorista, que não sobrevive.

“Nos chamou atenção no primeiro momento seis disparos 380, diz que um dos indivíduos que estava com a arma se assustou e começou a disparar. Ele também não conhecia bem o local, é uma rua sem saída, ele tentou manobrar e quando ele se deu conta que seria um assaltado, eles já chegaram e começaram a atirar”, explicou o delegado Daniel Ordahi.

A polícia identificou quatro suspeitos de participarem do crime. Um dos homens que aparecem nas imagens das câmeras de segurança está preso. O outro segue foragido. Ambos possuem antecedentes por roubos. A investigação identificou ainda um menor de idade, que foi encaminhado ao Deca, e uma mulher que era motorista do carro de apoio dos criminosos. O juiz a frente do caso não pediu a prisão preventiva dela.

A mulher que não teve a prisão preventiva decretada era uma espécie de motorista do aplicativo do crime, associada com os bandidos, ela transitava de carro pelas ruas de Porto Alegre atrás de vítimas potenciais para serem assaltadas. Em troca desse serviço, ela recebia R$ 50 dos criminosos. As principais vítimas que os bandidos procuravam eram pedestres desatentos nas calçadas ou motoristas de aplicativos da vida real.

“Nesse dia pegou ele por volta da 1h e ficaram rodando até às 2h, aleatoriamente acharam esse motorista de aplicativo. Enxergaram o carro na frente e por coincidência era a rua que ela morava também. ‘Vamos assaltar esses aqui’, ela disse que era a rua dela, os dois saíram correndo, ela deu uma volta com o menor dentro do carro, quando retornou 10 minutos depois para resgatá-los eles já tinham feito os disparos “, disse o delegado.

Segundo depoimento da mulher, o autor dos disparos justificou o motivo de ter matado o motorista de aplicativo. “Esse indivíduo que atirou, não sei se estava sob efeito de drogas, mas no carro ele falava que precisava matar uma alma, que ele era de religião e precisava matar uma alma, isso está no depoimento filmado da dona veículo”, destacou Ordahi.

A motorista da quadrilha responderá em liberdade e o autor dos disparos segue foragido da polícia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *