Porto Alegre terá shows drive-in no Anfiteatro Pôr do Sol

E depois de circo e cinema drive-in, a partir de agora Porto Alegre também terá shows na mesma modalidade. A ação entre a prefeitura e uma produtora vai promover shows musicais, teatrais e humorísticos no Anfiteatro Pôr do Sol, na Orla do Guaíba. Serão duas sessões por dia, sempre aos finais de semana. Houve um impasse ambiental para a realização do evento, mas a prefeitura afirma que a situação já está sob controle. Entenda.

A organização dos shows drive-in estima que a capacidade será de 200 carros por sessão, respeitando o distanciamento entre os veículos. O acesso de animais de estimação, pedestres e motos não será permitido, e todo o espaço físico do Anfiteatro será isolado com estruturas metálicas. O primeiro show, no sábado (27) que vem, será com guri de Uruguaiana e Chimarruts e os ingressos já estão à venda on-line. Parte do valor do será revertido para a confecção de cestas básicas distribuídas pela Associação dos Músicos do Rio Grande do Sul.

“Ao todo nós temos aproximadamente cinco mil pessoas que trabalham diretamente, não são todas essas cinco mil pessoas que estão necessitando, ou que buscaram esse auxílio da Secretaria de Cultura, mas aqueles que estão em vulnerabilidade e não conseguiram nem o auxílio da caixa emergencial. Nós escolhemos a Associação dos Músicos do Rio Grande do Sul para que ela receba esse valor e converta em doações de cestas básicas”, relatou o coordenador de música da Secretaria de Cultura, Henry Ventura.

Um impasse ambiental gerou mobilização nas redes sociais. Um cágado fez a desova no local, e a preocupação era de que os carros destruíssem os ovos.

A postagem no Facebook teve três mil compartilhamentos em menos de 24 horas. Mas, de acordo com a Secretaria Municipal de Cultura, a situação já foi contornada.

“Uma equipe já esteve no local, já averiguou o local e vai ser cercado, e isso vai também evitar que os animais acessem o local interno e a equipe da produtora já contratou um técnico para acompanhar esse cágado”, explicou Ventura.

A Secretaria Municipal do Meio Ambiente informou que a desova é comum na primavera, com filhotes nascendo no verão. Essa desova, em pleno inverno, surpreendeu os especialistas. No entanto, as câmaras de incubação ficam a cerca de 15 centímetros de profundidade, o que reduz os riscos de danos aos ovos e, portanto, não vai prejudicar a realização do evento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *