Prefeito visita Rede Pampa e detalha principais projetos que visam a entrega de uma cidade melhor para os porto-alegrenses

O prefeito Nelson Marchezan Júnior esteve visitando os veículos da Rede Pampa na manhã desta quinta-feira, conversando ao vivo com Sérgio Zambiasi, na Rádio Caiçara, com Pedro Fonseca, na Rádio Pampa, como Evandro Lebutte, na Rádio Liberdade,  bem  como com os comunicadores da Rádio GreNal . Os principais projetos e ações estruturantes, encabeçadas pela Prefeitura de Porto Alegre, visando melhoria de alguns pontos da cidade e qualidade de vida dos cidadãos, foram detalhados.

O prefeito abordou o treinamento que acaba de ser aprovado pela Câmara Municipal para a Guarda Municipal, gerando aos seus integrantes maior autoestima e preparação no cumprimento do interesse público.

Outro item diz respeito ao sistema recentemente instalado de câmeras integradas aos órgãos de segurança que, segundo Marchezan, “é referência no País”. Cerca de mil placas/dia estão sendo vistoriadas em lombadas com pardais. A iniciativa viabiliza o registro de carros furtados, diminuindo o crime. A orientação é para que o cidadão, também ao desconfiar da movimentação de algum automóvel nas ruas da cidade, possa informar aos órgãos competentes através do aplicativo Eu Faço POA. “Nos próximos seis meses, todas as entradas e saídas da cidade serão monitoradas e se o foragido não for pego na hora, será possível verificar seu trajeto”.

Outro projeto está relacionado aos animais de rua.Está em andamento a publicação de um edital para ampliar os serviços de castração a baixo valor, raio X, cirurgias e outros serviços que permitirão “a albergagem de animais em local apropriado e encaminhados posteriormente a programas de adoção, inclusive com chipagem”.

Uma parceria entre a Prefeitura de Porto Alegre e o Lions Club Brasil, com patrocínio do Tri Legal, vai ampliar à população o acesso a atendimento oftalmológico e óculos. Serão disponibilizados 1.300 óculos ao programa, que já conta com 5 mil pessoas no aguardo de exames e consultas. “A Prefeitura quer avançar na rede de especialistas”, afirma Marchezan.

A Região Metropolitana conta hoje com 660 praças e mais de uma dezena de parques, que serão mantidos a partir de agora pela iniciativa privada. “É um caminho de gestão de cidade para que as pessoas ocupem os espaços públicos”. Estão previstos requalificação de bancos, pracinhas, brinquedos, pintura em equipamentos, reformas de quadras, entre outros itens. “É o primeiro e o maior contrato na história da cidade no segmento”.

As Parcerias Público Privadas (PPPs), uma das bandeiras da Prefeitura, já exibe um projeto de sucesso, firmado com a iniciativa privada para instalação de um novo parque de iluminação na cidade, que deverá abranger a substituição por iluminação 100% LED em 105 mil postes de luz. “Daqui a 20 anos, a empresa entrega para a Prefeitura, que poderá voltar a administrar o setor ou abrir para uma nova concessão”. Segundo o prefeito, este é o melhor modelo de iluminação pública já firmado no Brasil. Outro projeto com foco no mobiliário urbano abrange os relógios de rua, com a oferta de uma empresa que já opera em Milão e em Paris, de 80 milhões de reais para administrar cerca de 80 unidades, com câmeras de monitoramento, com a instalação prevista de 167 relógios até 2020. O passo seguinte será as placas de rua e saneamento básico. “Não é admissível termos 200 mil pessoas sem água e 44% da cidade sem tratamento de esgoto”.

O prefeito Marchezan Jr. está otimista frente a estes projetos e, principalmente, com a possibilidade de a Prefeitura fechar no azul no próximo exercício. O acesso ao crédito, através da aprovação de linhas de financiamento no valor de aproximadamente 700 milhões de reais, através de agentes financeiros permitirá à Prefeitura “tocar obras que ficaram de herança da Copa do Mundo”.

Outro projeto abordado pelo prefeito durante a visita diz respeito ao tratamento terapêutico a doentes mentais, através de duas instituições, Lar da Amizade e Instituto Renascer, aptas a receberem pacientes, oportunizando melhor tratamento e qualidade de vida, com mais leitos. A abrangência deste tipo de serviço chega também aos dependentes químicos. Nestes casos, a própria Prefeitura oferece opcionais que passam pelo encaminhamento do paciente aos familiares, em se tratando de residentes no interior do Estado, tratamento em leitos hospitalares ou aluguel de moradia com acompanhamento médico e social. “A rua não é o melhor lugar para estas pessoas”, enfatiza o prefeito.

Finalmente, ele abordou a possibilidade de permuta de imóveis da Prefeitura com a iniciativa privada, visando beneficiar instituições que prestam serviços à comunidade. O prefeito exemplificou, citando o Hospital Presidente Vargas, podendo ser entregue à população em local totalmente estruturado, tendo sua atual área permutada através desta proposta. Outro exemplo, nas mesmas condições, fica para o Hospital de Pronto Socorro.

Por Clarisse Ledur



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *