Prefeitura de Porto Alegre flexibiliza horário de bares e restaurantes

Desde que a prefeitura de Porto Alegre liberou o funcionamento noturno de bares e restaurantes, os donos desses estabelecimentos têm enfrentado problemas. O horário de fechamento se tornou uma dor de cabeça para o setor.

Quem vê de fora, pode até imaginar que o funcionamento até às 22h já foi um grande avanço para a retomada dos bares e restaurantes em Porto Alegre. Mas não é bem assim. O Rodrigo é dono de um estabelecimento na Cidade Baixa e ainda não conseguiu reabrir as portas. O motivo foi um detalhe que é diferencial para o público do bar.

“A gente tendo que fechar às 22h, na verdade não é nesse horário, pois temos que parar de atender às 21h. Até o cliente comer um petisco ou a gente encerrar a conta do cliente não é às 22h, e sim até às 21h”, comentou o sócio-proprietário do bar, Rodrigo Bressan.

Diante desse cenário, a Associação de Comerciantes da Cidade Baixa se reuniu com representantes da prefeitura. A reivindicação focava no funcionamento do setor até a meia-noite. Após a conversa, o Rodrigo ficou animado e decidiu que vai reabrir o bar.

“Meia-noite horário de fechar, aí significa que a cozinha vai poder funcionar até às 23h. Então, é isso que nós estamos tentando levar a prefeitura e ao secretário de desenvolvimento econômico, que nos ajude. O momento atual é difícil, mas a gente precisa retomar a nossa vida”, disse Bressan.

O que a prefeitura decidiu ainda não é o ideal para bares e restaurantes de Porto Alegre. O horário de fechamento segue o mesmo às 22h, mas agora vai haver uma flexibilização, os estabelecimentos podem operar por uma hora a mais sem a necessidade de expulsar o cliente que ainda estiver consumindo dentro do bar.

Esse meio-termo entre setor e prefeitura deve ser aprovado ainda nessa semana. A perspectiva apresentada pelo secretário de desenvolvimento econômico da capital agradou quem esperava uma resposta positiva. “Uma reivindicação que é justa e que economicamente ela faz sentido, é algo factível”, comentou o secretário de desenvolvimento econômico, Leonardo Hoff.

A proposta original, de estender o funcionamento de bares e restaurantes até a meia-noite não deve prosperar, por enquanto. A prefeitura não quer estimular a movimentação noturna na cidade. Resta aos estabelecimentos se adequarem à flexibilização.

“Mas agora é questão de sobrevivência mesmo, este é o último cartucho que a gente tem. A gente sabe que vai ser difícil, mas acreditamos que vamos conseguir”, relatou Rodrigo Bressan.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *