PUC assinou com a prefeitura de Porto Alegre adoção de um trecho do canteiro central da avenida Ipiranga

*Por Jornal O Sul

A assinatura de um termo com a prefeitura de Porto Alegre marcou oficialmente, nessa terça-feira, a adoção de um trecho do canteiro central da avenida Ipiranga pela PUCRS (Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul). O documento, com dois anos anos de vigência, prevê a manutenção e implementação de melhorias na porção entre as avenidas Salvador França e Cristiano Fischer.

Com investimento de R$ 200 mil, o plano de revitalização deve ser colocado em prática no mês que vem. Na pauta, uma nova ponte (que já está sendo construída) para melhorar o fluxo de trânsito e o acesso ao Hospital São Lucas e ao Instituto do Cérebro, além de projetos de diagnóstico e monitoramento ambiental e de um programa de restauração da Bacia do Arroio Dilúvio.

“Ações como esta, de adoção de espaços públicos, são importantes. É uma alternativa inteligente, que busca na sociedade a responsabilização de todos”, disse o prefeito Nelson Marchezan Júnior. Ele e o reitor da PUCRS, Evilázio Teixeira, assinaram o termo durante a manhã, em cerimônia no prédio 15 da instituição.

O chefe do Executivo municipal, no entanto, ressalvou que somente parcerias com o setor privado não resolvem todos os problemas da cidade: “Nada é tão forte quanto a máquina pública. Se não promovermos as reformas necessárias, não teremos como fazer o mínimo para a população. Nós é que temos que mudar a cidade”.

Já o reitor da PUCRS chamou a atenção para a relevância da obra, na visão da instituição. “O dia de hoje é um marco histórico, de muita alegria para nós”, declarou Evilázio Teixeira. “O nosso propósito é gerar impacto social, conscientização e qualidade de vida. E a nossa causa são Porto Alegre e o Rio Grande do Sul.”

A proposta da PUCRS para o canteiro prevê 11 mil metros quadrados de grama e outros 1,4 11 mil metros quadrados de paisagismo, pintura e intervenções artísticas. Além de serviços básicos, como roçada, capina, varrição e pintura de meio-fio, a universidade pretende qualificar a ciclovia local, instalando recuos para espaços de descanso e totens informativos.

Com a adoção de espaços urbanos por instituições, a prefeitura pode economizar recursos e aplicá-los em áreas prioritárias à população, como saúde e segurança. O Município tem um custo de mais de R$ 500 mil por ano com a manutenção de toda a Ipiranga. Apenas no trecho adotado pela PUCRS, calcula-se um gasto de R$ 83 mil anualmente.

Projeto

A direção da PUCRS também apresentou o projeto “Living 360°”, dentro do prédio 15. Com três andares e 10 mil metros quadrados, o local oferece ambientes de estudo, bem-estar e convívio. Para isso, a instituição se inspirou em exemplos em grandes universidades internacionais.

O público-alvo são alunos os cursos de graduação, pós-graduação e sequenciais da Universidade, organizadas em cursos e programas de graduação, pós-graduação e sequenciais, além de atividades de pesquisas. Durante a apresentação, os presentes foram convidados a experimentar um pouco dos recursos tecnológicos disponíveis no local.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *