Queda na safra da uva gera aumento da qualidade dos vinhos

O consumo de vinho aumentou 26% neste ano. O setor vinícola aponta a pandemia como um dos principais fatores. E, curiosamente, a queda da safra da uva não é um empecilho para a venda do produto, que também cresce em qualidade.

O brasileiro nunca tomou tanto vinho. O consumo per capita teve um aumento histórico de quase uma garrafa. Segundo pesquisas, maiores de 18 anos consumiram, em média, 2,68 litros da bebida entre janeiro e setembro deste ano. Número 26% maior do que o do mesmo período do ano passado, que foi de 2,13 litros.

“É um conjunto de razões eu costumo dizer. Primeiro, as pessoas acabaram ficando em isolamento social e ficaram muito mais tempo em casa, e aí buscaram o vinho como companhia para cozinhar. As pessoas começaram a fazer mais comida em casa e tiveram mais tempo também de lazer dentro de casa. Assim, escolheram uma bebida sociável como é o vinho”, revelou o presidente da Associação Brasileira de Sommeliers do Rio Grande do Sul, Orestes de Andrade Júnior.

Além disso, a alta do dólar fez com que o consumidor optasse pelo vinho nacional, ajudando a indústria local a prosperar mesmo durante a pandemia. E, apesar da queda de aproximadamente 18% na safra da uva no Rio Grande do Sul, o setor observa uma melhora na qualidade do produto.

“A qualidade ela foi a melhor dos últimos 30 anos, bateu a emblemática safra de 2005. Então, essa perda em quantidade foi compensada por uma qualidade excepcional”, destacou Orestes de Andrade Júnior.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *