Secretário de Saúde garante que fechar escolas não é prioridade

Em Porto Alegre, a prefeitura voltou a proibir na semana passada eventos sociais e aglomerações em locais públicos. E se o número de casos e a ocupação de leitos continuarem a subir, novas restrições poderão acontecer.

Após um período de estabilidade no cenário da Covid-19, observado desde setembro em Porto Alegre, a capital entra agora em um novo momento, com a piora dos indicadores. E, caso haja um agravamento da situação, novos decretos podem ser publicados.

“A gente está sempre pesando e a cada reunião, a gente define qual o próximo passo a adotar, mas sempre atento a questão do prejuízo que isso pode causar para a sociedade, principalmente na esfera econômica”, revelou o secretário de saúde de Porto Alegre, Pablo Stürmer.

Além da questão econômica, a educação também entra em pauta. Mas o secretário garante que esta não é uma questão avaliada pelo comitê para entrar nas restrições. Na avaliação da prefeitura, seria um prejuízo para o aprendizado de jovens e crianças.

“Agora é o momento de retomar, de recuperar este tempo perdido e de manter as crianças nas escolas. Então, o fechamento das escolas não é um ponto que está na pauta do comitê no momento”, destacou Stürmer.

Para aumentar o número de testagens rápidas, a prefeitura vai passar a disponibilizar até 200 testes por dia que detectam a Covid-19 em até 12 horas. O chamado controle de surtos vai servir para instituições e locais de trabalho de longa permanência realizarem a coleta caso alguém apresente sintomas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *